Pages

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Quem ama não pede prova!

Quando vendemos algo e não estamos bem certos de receber ou não daquela pessoa, geralmente pedimos um sinal, isto é, um adiantamento ou uma parcela do pagamento para garantir que não teremos prejuízo. Pedimos esse sinal quando não se confia muito na pessoa. A mesma coisa acontece quando pedimos um sinal a Deus, é porque não confiamos plenamente nele.
Você, confia e ama Deus? Ama a ponto de esperar uma graça sem pedir provas?
Quem ama verdadeiramente do fundo da alma não pede nenhum tipo de prova, simplesmente confia. Aí está o problema, confiar hoje é coisa do passado. Hoje o poder está na assinatura e não na palavra, o mundo ensinou ao homem a desconfiar. Até certo ponto não desmereço a desconfiança, porque o mundo faz com que nós desconfiamos dele, mas por desconfiar nós perdemos muitas coisas, nós até perdemos a confiança em Deus.
Confiar é ter fé, é ter discernimento em diferenciar o que se deve confiar, como Deus, e o que se deve desconfiar, como o mundo.
Temos de nos entregar a Deus plenamente, e não precisamos pedir prova ou sinal, porque Deus não precisa nos provar nada. Não vale a pena desconfiar e pedir provas para Deus, Ele não deve nada para a humanidade, é totalmente o contrário, pois a humanidade deve para Deus.

“Nós devemos para Deus!”

Se Deus um dia viesse nos cobrar, nós teríamos uma dívida infinita, porque o sangue de seu filho, Jesus Cristo, não tem preço! É mais que precioso, é mais do que um tesouro, é mais do que a mente humana e pecadora pode raciocinar!
Eu não escrevo este texto somente no pensamento voltado para o espiritual, mas também visando e filosofando nos relacionamentos em geral. Relacionamentos como o casamento que pode durar a vida toda, mas um dia se acaba porque alguém pediu uma prova deste amor. Quem ama confia, quem ama espera, quem ama demonstra este amor de forma concreta.
Jesus Cristo quando estava preso pelos pregos na cruz, não olhou para a multidão e disse que iria cobrar, mas olhou para o céu e com alta voz proclamou:

“Pai, perdoa-lhes, pois não sabem o que fazem”
Lucas 23, 34

Jesus não nos condena, mas nos perdoa por morrer na cruz de forma tão dolorosa, e também não nos cobrou nada.
Para quem acompanha a bíblia, sabe que Pedro foi uma figura importantíssima na história da cristandade, e sabe qual foi a resposta dele quando Jesus perguntou se alguém sabia realmente quem era ele:

“E vocês, perguntou Jesus. Quem vocês dizem que eu sou?
Simão Pedro respondeu: Tu és o Cristo, o filho do Deus vivo.”
Mateus 16, 15 e 16

Vejam só, uma resposta destas é preciso que se tenha confiança, saber usar as palavras. Precisamos ter confiança como Pedro, para responder a Cristo. Hoje Jesus bate na porta de muitos, e pergunta:
- Você sabe quem eu sou? E muita gente não saberá responder com certeza. Temos que dizer a Cristo: Tu és o filho do verdadeiro Deus, vivo para todo sempre, e está sentado em trono de glória e justiça, Aquele que criou e ama a obra de suas mãos! Que lindo seria este momento.
Jesus responde a Pedro o seguinte:

“Feliz é você, Simão, filho de Jonas! Porque isto não foi revelado por carne ou sangue, mas por meu Pai que esta nos céus.”
Mateus 16, 17

O que coração não vê Ele sente sim, pois eu nunca fui testemunha ocular da pessoa física de Jesus Cristo, mas sinto Ele em minha vida, na minha casa, na minha família e na minha existência. Isso é uma causa de confiança, pois quem ama confia, e não pede prova. Jesus provou o seu amor um dia, quando deu a sua vida em lugar da nossa. E eu pergunto: A prova maior do que dar de bom grado a vida no lugar do próximo? E este próximo não é um número estatístico, e nem estimado, mas sim os que se foram, os que estão aqui e os que irão nascer. Jesus amou tanto que morreu até palas vidas que iriam surgir depois de seu tempo. Jesus me amava dois mil anos atrás, Jesus amava o seu passado, o seu presente e o seu futuro.
Não devemos pedir sinais para Deus. A chave para o nosso crescimento em Deus é a paciência, e saber entender que o tempo de Deus não é o nosso e nem está ligado a nossa vontade, pois é Ele quem faz o tempo, e nós simplesmente estamos vulneráveis a este respectivo tempo.

“Deus é um relógio, Ele é os ponteiros e nós somos os números!”

Queridos, repito mais uma vez: Quem ama não pede prova, e não pede sinais. Temos que pedir a Deus paciência e discernimento, para encararmos os obstáculos do tempo, para saber esperar as respostas divinas, para que nós, humanos que somos, possamos amar cada vez mais este Deus que nos ama infinitamente.

Lucas de Almeida Moraes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário