Pages

sábado, 24 de setembro de 2011

Cristo e sua preferencia pelos pobres

Antes de iniciar o texto quero pedir desculpas aos leitores, pois fiquei um bom tempo sem postar textos por motivos pessoais, mas agora voltei a ativa. Espero que gostem das próximas obras!


Meus queridos amigos, hoje iremos refletir na pessoa de Cristo e seu ministério e vivencia, que sempre teve a opção pelos pobres. A humanidade foi uma das grandes virtudes que Jesus nos passava e pesa pela sua palavra.
A opção pelos pobres é uma das maiores demonstrações que o bem maior do evangelho é defender os menos favorecidos, aqueles que não de destacam, os que não têm voz no meio da multidão. Quando se fala na palavra de Deus sobre pobres, não é somente voltado para aquele que necessita de mantimentos materiais, mas também aquele que é necessitado de bens espirituais, ou seja, os pobres de espirito.

“Cristo e a sua preferencia pelos pobres é a confirmação que Deus esta junto dos mais necessitados!”

Jesus se preocupava com a pobreza espiritual do povo. Veja que interessante um ponto que pode ser usado como exemplo: os doze apóstolos. Dentre aqueles doze homens viviam  alguns mergulhados totalmente no pecado como cobrar taxas elevadas do povo, duvidar da verdade, fofocar, ser rabugento e até traidores. Cristo nos mostra a sua preferencia pelos pobres até pelos seus discípulos.
Sabe meus amigos, se prestarmos atenção na palavra de Deus podemos observar que varias vezes Jesus esta no meio daqueles que não eram pessoas bem vistas, de má índole e que eram julgadas por de não levar uma vida de acordo com as leis de Deus. Dois exemplos disso é Zaqueu e Maria Madalena. Zaqueu o homem de baixa estatura que subiu em uma arvore para ver Jesus passar. Era publicano e muito rico, explorava os pobres a quem cobrava excessivamente, mas começou a andar em passos certos depois que teve a experiência da presença com Cristo. Maria Madalena a prostituta que foi apresentada a Jesus pela sua mãe Maria. Pela experiência da presença de Jesus e sua palavra ela sofreu o feliz plano de salvação em sua vida, como Zaqueu também sofreu.
É preciso entender que Cristo não veio somente para reanimar a fé de quem já cre, mas para que as pessoas que não tem salvação passem a ter. Cristo não se preocupava diretamente com aquele que já acreditava, mas com que não o tinha como filho de Deus, pois ele deixou bem claro a nós, que ninguém vai ao pai si não por ele! Ora, e faço a seguinte pergunta: porque eu daria agua para quem já saciou a sua vontade? Eu darei agua para quem tem sede! Eu devo levar Deus para quem necessita, não para quem já anda em caminhos de luz.

“Pois o filho do homem veio buscar e salvar o que estava perdido.”
Lucas 19, 10

Os pobres tem participação importantíssima no plano de salvação que Deus nos apresenta. Na pobreza não se encontra a luxuria excessiva que leva o homem a obsessão, mas se encontra a humildade e a destreza de ser feliz nas coisas pequenas, e nestas coisas pequenas ver e esperar grandes prodígios. Jesus agiu assim, nas suas pequenas simples palavras e gestos nos mostrou a grandeza que é o céu.
A humanidade é o ponto máximo que nos faz entender e nos colocar na devida pequenez diante de Deus. Nos faz compreender a nossa posição de criação, mas também de filhos, pois foi o pai que pela sua grandiosa sabedoria já nos tinha em mente desde a consumação da criação do mundo.

 “Todo aquele que o pai me der virá a mim, e quem vier a mim eu jamais rejeitarei.”
João 6, 37

Jesus sofreu por dar preferencia aos pobres, pois este povo sofria e sofre nas mãos dos que se diziam salvos, mas estavam drasticamente enganados. Toda a causa benéfica e ainda mais a que ajuda os outros sempre ira ser atrapalhada por obras rivais. Isso não ocorria somente nos tempos de Jesus, mas ocorre no nosso cotidiano. Particularmente tenho um exemplo que muitos teólogos intelectuais sabem que vou falar: porque a teologia da libertação não é bem vista com bons olhos por muitos? Simplesmente porque durante anos ela foi a voz dos pobres perante os poderosos. Porque pessoas que lideravam idealizações comunitárias de defesa  e ajuda ao próximo sofriam e sofrem atentados? Porque agride os fartos bolsos da elite mundial! Exemplos disso são pessoas como Chico Mendes que lutava por uma classe social explorada (seringueiros) e o grande João Paulo II que sempre se mostrou contra regimes que flagelava o povo com injustiça, de presente de mal grado levou um tiro no peito em 1981 e felizmente não veio a falecer.
Se formos analisar a figura de Cristo como comunicador e idealizador daquilo que ele pregava como uma verdade, ele se tornaria uma espécie de inimigo do estado. Cristo foi uma figura revolucionaria de seu conturbado tempo, não somente sobre a teologia fanática dos fariseus e lideres dos sacerdotes, mas também no modo de vida de uma sociedade que era radicalmente explorada e tinha medo de se rebelar contra aqueles que pregavam a falsa verdade.

“Fazer o bem tem seu preço, mas a recompensa é a salvação!”

A boca do pobre sempre estará em risco, frequentemente ameaçada, pois as mordaças dos ímpios sempre estarão prontas para calar a verdade. Mas lembre-se que é preciso insistir e trabalhar arduamente pela verdade, pois ela nos libertara.

“O orgulho de vocês não é bom. Vocês não sabem que um pouco de fermento faz toda a massa ficar fermentada? Livrem-se do fermento velho para que sejam massa nova e sem fermento, como realmente são. Pois Cristo, nosso cordeiro pascal, foi sacrificado. Por isso celebramos a festa, não com o fermento velho,  nem com o fermento da maldade e da perversidade, mas com os pães sem fermento, os pães da sinceridade e da verdade.”
1 Coríntios 5 6-8

Lucas de Almeida Moraes      
O céu é para quem merece, para que tem riqueza no espirito!
 Por isso busque a riqueza de espirito!

Nenhum comentário:

Postar um comentário