Pages

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Faça a sua escolha!

suporte o peso, seja persistente!

  Queridos amigos, hoje de uma maneira muito especial quero aqui colocar uma passagem do evangelho de Marcos que tem muito a nos dizer e ensinar. Jesus diz para mim e para você  o seguinte:

“Se alguém quiser acompanhar-me, negue-se a ti mesmo, toma a sua cruz e siga-me”
Marcos 8, 34

  Amigos, esta sem duvida seria a frase que Jesus Cristo diria em tempos atuais se estivesse visualmente em corpo e alma, mas de modo especial ele esta e diz este versículo continuadamente, mas muitos preferem acompanhar o mundo e fazer com que seja feita a vontade da carne.
  A colocação de Cristo nos revela de um modo muito concreto uma escolha que nós temos a oportunidade de fazer, dois caminhos a trilhar e duas metas a se prosseguir, mas cada uma nos leva a uma determinada realidade. Cristo nos mostra duas glorias, que são: a gloria do mundo e a gloria do céu. Já no inicio da passagem Jesus nos apresenta três palavras muitíssimas importantes: “Se alguém quiser”. Ai esta a escolha, se você quer seguir ao filho de Deus, ou um mundo conturbado, a escolha é totalmente sua. Chega ser muito interessante esta afirmação de escolha, pois vimos no velho testamento um “autoritarismo divino”, e depois vem Jesus, o verbo encarnado da nova aliança, e de uma maneira muito democrática da à liberdade ao homem de segui-lo ou não, de querer aceitar o evangelho ou não. Jesus da à liberdade ao homem simplesmente por amor a criação, assim como por amor ele nos informa às consequências que o mundo traz e para onde ele nos levara.
   A cruz é o símbolo da salvação, mas nós temos a prova na vivencia do próprio Cristo que morreu por nós, que para oferecer e dar a salvação para a humanidade a sua pessoa teve que passar pelo sofrimento. Assim como a cruz é sinal de paz, amor, valores, ternura, libertação e luz ela também é símbolo de negação, dor, sofrimento, angustia e trevas, ou seja, para se chegar até Cristo de uma maneira particular e pessoal, nós precisamos e passamos pela cruz, pelo sofrimento e a dor, mas a recompensa de uma vida correta é que teremos a plenitude da salvação e morada em uma vida que será eterna. O que Cristo diz hoje para mim e para você e exatamente isso:

“Não tenha medo de sofrer!”

   Sebe o porque de tantas pessoas terem saído de uma vida prestada a serviço de Cristo? Simplesmente porque elas não suportaram ou não quiseram suportar a cruz, e na primeira pedra que havia no meio do caminho elas não quiseram ultrapassar, ficando presas em um primeiro obstáculo que abriria a porta para vários, porque elas tiveram medo de sofrer diante de uma sociedade que se diz teísta, mas não faz as suas palavras de crentes valer a pena. Ouve muitas pessoas que tiveram inúmeras oportunidades de chegar à verdadeira alegria, mas preferiu somente viver a gloria do mundo, onde oferece e agrada o povo com uma felicidade falsa ou momentânea, ou seja, o mundo não vive do que é concreto e eterno, mas sim o que é passageiro!
    Quantas e quantas vezes se avistam pessoas que folham as paginas da bíblia e diz que Deus é um ser que cobra demais a sua criação para se chegar a um estado salvifico! Ora, o céu não é para os fracos, o céu é para os fortes! O céu é para aqueles que aguentam o peso da cruz e não para aqueles que desistem no meio do caminho. Deus cobra de nós para que cada ser humano leve a sua cruz e a suporte, e se cair, levante e comece tudo novamente.

“De fato, todos os que desejam viver piedosamente em Cristo serão perseguidos.”
2 Timóteo 3, 12

    Ser cristão hoje é ser alvo de pedras! Seguir Jesus na atualidade é causa de chacota! Viver uma vida regrada nos princípios que as sagradas escrituras nos apresenta é motivo de exclusão! O que se percebe é que o mundo inventa um Jesus Cristo que é um homem com sua natureza divina que foi “coisificado” e considerado um personagem histórico, que de um modo surpreendedor  foi passando de geração em geração como o salvador, e ele deve pertencer ao seu tempo, ou seja, somente a dois mil anos atrás, hoje ele é um personagem de um livro de historia, isso o que se conclui é que Jesus teve seu tempo e o seu momento.
     Cristo não é como uma “modinha” que é simplesmente trocada a cada instante, Cristo é eternidade, pois ele é o principio e o fim. O mesmo que estava em vida visível no meio de nós a dois mil anos atrás ainda é o mesmo ontem, hoje e sempre!

“Cristo é o mesmo de ontem, hoje e sempre!”

      Fazer a nossa escolha é analisarmos os fatos. E eu pergunto: o que realmente edifica, o preferencial é viver uma vida cheia de prazeres e interesses carnais, que motivam a uma felicidade mundana, ou uma vida voltada para uma felicidade sincera, que permaneça firme como rocha para o resto da eternidade?
     De modo particular e pessoal todo homem busca a felicidade, mas quase sempre ou na maioria das vezes por caminhos fáceis. A verdadeira felicidade não pertence a este mundo, não esta presente em nossa realidade, pois ela esta em Deus, ou seja, o caminho para a felicidade é o caminho para o céu, um realidade diferente da que vivemos, mas a felicidade para se concretizar cobra de cada um de nós um sofrimento, e esta é a prova que tantas pessoas estão afundadas em uma depressão crônica, que infesta tantas casas e famílias deste mundo, porque não souberam lidar com sua cruz, e a bíblia ensina muito bem como lidar com o peso dela.

“A felicidade cobra de nós sacrifícios, pois só quem sabe chorar sabe sorrir!”

     Saibam meus amigos, todos as pessoas deste mundo tem salvação, não importa a sua condição, se esta preza, livre, se é preto, amarelo, vermelho ou branco, rico ou pobre, o importante é ter a meta, e esta meta nos une apesar das diferenças, e o que nos une é Cristo! Todos os seres tem uma cruz, a muitas pessoas que chegaram na sua meta, a outras que estão no meio do caminho, assim como a muitas pessoas que não encontraram a sua cruz para seguir de encontro a verdadeira felicidade, mas saibam:

“Ainda a tempo! Tome a sua cruz e comesse sua jornada rumo ao único caminho de verdade e vida!”

     Hoje de modo muito especial quero convidar a cada um dos leitores para orar, pensar e se perguntar: eu sou feliz? Eu busco a minha felicidade? Eu estou em que caminho? Será que eu levo a minha cruz, ou a deixo encostada? Qual escolha eu devo tomar, e qual caminho a seguir?
     Pensem bem nas respostas destas perguntas, pois não será para mim que vocês irão responder!

“Irmãos tomai como exemplo de sofrimento e paciência os profetas que falaram em nome de Senhor”
Tiago 5, 10

     Lucas de Almeida Moraes  
Seja grato!

negue a si mesmo! 

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Amar o próximo é fonte de vida!

Jesus tem a maior prova de amor estampada e marcada
nas suas mãos!

     Queridos amigos, hoje os convido para ter foco nesta palavra que somente tem quatro letras, mas é dona de um significado grandiosíssimo: amar.
     Deus da a capacidade ao homem de amar, e fazer com que esse amor aconteça e se expresse de um modo tão especial. A vida só tem sentido quando nós amamos de verdade. Amar verdadeiramente é sentir-se feliz ao fazer tudo para que o outro seja feliz também. Praticar o amor é um exercício diário, que precisa ser realizado com paciência, pois nem todos reconhecem a verdadeira essência que é amar.

“Deus deu a capacidade ao homem de amar!”

    O difícil de amar é que pera o amor acontecer ele nos cobra a nossa natureza demais. O amor cobrou Jesus Cristo que era filho de Deus, e o preço deste amor foi a cruz. Todo amor passa pelo sofrimento, passa pela cruz, passa pelos buracos, onde muitas vezes são fundos demais e estamos sozinhos para escalar e chegar ao topo. Mas Deus esta sempre ao lado de quem persevera e cre que pode fazer a sua meta acontecer.
      Deus em relação ao amor pede coisas a nós que são quase que humanamente impossíveis, mas outra barreira que nos impede de chegar ao amor é a ideia da impossibilidade, a ideia que não podemos chegar lá. Assim como a santidade é algo difícil nos dias atuais em um mundo tão “atualizado”, o amor também é. O amor virou brincadeira, hoje o que se tem é uma criatura maldosa fantasiada de amor, que se diz perfeita. Mas ai vem a verdade: o homem nunca terá a epífise e a plenitude do amor por inteiro, pois ele sempre de alguma forma ira “misturar” o amor que é Deus com o amor do mundo, assim Deus não é mais o centro, mas sim a vontade do homem.

 “Eu porém vos digo: Amai aos vossos inimigos, e orai pelos que vos perseguem.”
Mateus 5, 44

     Sabe qual é a maior dificuldade de viver e se ter o amor verdadeiro? É  a capacidade de amar o inimigo! Jesus não nos afirma isso simplesmente como se fosse mais uma pregação, um dialogo com pouca importância, Cristo nos fala em Mateus 5, 44 com autoridade, ou seja, é um mandamento, pois quem não ama os inimigos não compartilha a gloria de Deus, pois a gloria é a invencibilidade do amor, e se derrota o mau somente com o amor e nada mais. Se alguém lhe da uma serpente venenosa não presenteie com o mesmo, mas lhe de flores, pois o amor não é somente em particular um sentimento, mas também uma revolução. Jesus nos mostra esta revolução, nos apresentando a única arma que derrota tudo aquilo que vem do mau: o amor.
     Cristo é o revolucionário e idealizador de uma paz desarmada de facas e instrumentos de morte, mas armada com a armadura e a espada da sua palavra que é fonte de amor, que derrota qualquer obra maligna, pois as trevas nunca poderá triunfar sobre a luz. Talvez as vezes perece estar tudo perdido, mas ai vem a memoria que Cristo sofreu, foi crucificado e morto, mas venceu as trevas ressurgindo no terceiro dia, ou seja, a ressurreição de Cristo é a prova que o amor sempre triunfa e sairá vitorioso, é só esperar e fazer a nossa parte.
      Outro grande mistério a se desvendar do amor é separar a pessoa dos seus atos. No texto anterior foi escrito sobre a família e o homossexualismo, foi falado sobre os homossexuais e também que deve-se abominar a pratica do homossexualismo, mas deve-se de um modo todo especial amar a pessoa. Todos nós somos vulneráveis ao pecado, pois faz parte de nossa natureza que esta preza na carne, por isso todo isso tem perdão, se não realmente não haveria salvação. Perdão também é fonte de amor, pois no perdão eu reconheço que o meu próximo errou e eu também errei, reconheço que ele compartilha da mesma natureza que eu, e por amor eu libero este perdão. E quantas pessoas não descobrem a graça do perdão por não liberar e nem saber perdoar. Nós vivemos em um mundo que necessita realmente de perdão, e este perdão se alcançara somente quando o amor for verdadeiramente capaz.

“Pois se perdoarem as ofensas uns dos outros, o Pai celestial também lhes perdoará. Mas se não perdoarem uns aos outros, o Pai celestial não lhes perdoara as ofensas.”
Mateus 6, 14-15

    Eu, particularmente já magoei muita gente, e foi mais de uma vez, e pedi perdão, pois eu reconheço do que sou feito, mas também reconheço que a minha alma necessita de perdão, e assim eu chegarei a plenitude do amor, eu pisarei na cabeça do ódio como se pisa na cabeça da cobra. Por isso: perdoe, e aceite o perdão para que aconteça o amor. Não deixe que o orgulho tome conta do seu coração, mas peça a Deus que lhe de um coração misericordioso para perdoar os erros do próximo, que divide a mesma natureza de toda a humanidade.
    O amor é fonte de vida, Deus amou e ama a vida, e por isso estamos aqui. Jesus se sacrificou e depois se tornou fonte de vida, pois ele mesmo disse: eu sou o caminho a verdade e a vida. A nossa existência é fruto de um amor, não do amor do mundo, mas o amor divino, este ágape revolucionário, que apresenta ao homem que Deus na sua santidade ama a sua criação e esta disposto a perdoar e realizar grandes prodígios sobre ela.

“O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não se vangloria, não se ensoberbece, não se porta inconvenientemente, não busca os seus próprios interesses, não se irrita, não suspeita mal; não se regozija com a injustiça, mas se regozija com a verdade; tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.”
1 Coríntios 13:4-7

  Lucas de Almeida Moraes 

Amar é reconhecer que somos pequenos perto de Deus.
  

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

O homossexualismo e a família.

    Hoje quero responder a um comentário que fizeram no texto passado “O ataque a família que Deus criou!” onde eu apontei vários atos que de certa maneira agridem o verdadeiro e sincero sentido de família na sua formação como corpo educacional e de estrutura do ser humano.
     Primeiramente quero dizer que não tenho preconceito contra homossexuais, pois eles também estão ligados a misericórdia de Deus, e faz parte da criação como eu também faço, por isso compartilhamos da mesma natureza. Na verdade dividisse o homossexual em dois aspectos: a pessoa e o homossexualismo, ou seja, ame a pessoa porque ela é meu próximo e imagem e semelhança de Deus, mas abomino o homossexualismo pela sua finalidade que corrompe e vai contra os decretos divinos, ou seja, a instituição que é a família. O maior dom de uma família é a vida, e convenhamos que dois homens e duas mulheres não geram vidas.
     O inimigo maior da sociedade que abrange como um todo a família no caso da homossexualidade não é o homossexualismo em si, mas sim a ideologia gay, que quer exterminar os valores e os conceitos no qual a nossa sociedade foi formada e constituída. Um exemplo é que agora em vários países que se jugam cristãos pessoas do mesmo sexo podem se casar sobre os olhos da justiça, ou seja, uma agressão contra a família e o verdadeiro matrimonio.
      A finalidade é: ame a pessoa homossexual, mas não aceite o homossexualismo. Respeite a pessoa e sua escolha, mas não tome para si o que ela segue. Devem ser acolhidos com respeito, compaixão e delicadeza, mas também devemos acolhe-los com o intuito da conversão.  

“As pessoas homossexuais são chamadas a castidade. Já a cultura gay ofende a dignidade do matrimonio e da família!”

     Entenda e saibam separar as coisas. A igreja ama verdadeiramente o homossexual, mas não aceita o que ele vive. A igreja nunca poderá fechar as portas para alguém com tendências homossexuais, pois assim ela perde o seu objetivo de salvação de todas as criaturas. A igreja deve acolhe-los em seu meio e oferecer a palavra de vida eterna.
      Já na questão da adoção de uma criança por um casal homossexual já mexe com toda uma estrutura psicológica que também chega a agredir a família. Uma criança realmente precisa de afeto, amor e carinho, e um casal homossexual pede até atribuir estes fatores básicos ao menor, mas o problema é a estrutura e a educação “familiar” que esta criança ira receber desse “casal”.
       Um ser que tem dois pais ou duas mães ira ser educado em uma ideologia puramente gay, ou seja, ira ser ensinado que o homossexualismo é um ato a ser deparado com a mais perfeita normalidade, ou seja, uma criança que ira ser uma testemunha do futuro defendera e será a favor da união homo afetiva, pois foi educada por ela, e la aprendeu que é super normal e moderno vivermos em uma sociedade gay.
        Já na questão de uma necessidade de amor e carinho que uma criança precisa e, o resgate desses pequeninos que vivem nas ruas geram uma discussão um pouco extensa para o ocasião, e peço ao leitor um pouco mais de paciência, pois quero escrever um artigo somente desse assunto.
        Gostaria de apontar um pedaço do comentário que diz o seguinte:

“ Sendo assim, a definição de "verdadeira família", em minha opinião, deveria ser entendida como um círculo de amor e compaixão diante da vida, e não como sendo um meio padrão cheio de regras, que defende a ideia de que um casal homossexual não pode dar uma vida digna á outro ser humano.”

      O negocio é o seguinte: família não foi algo que o homem criou, mas sim Deus. As regras e meios padrões foi o autor da vida que impôs a uma formação familiar. Ai eu pergunto: Quando eu crio algo, eu não tenho o direito de impor regras para aquilo que eu mesmo criei?
      A estrutura familiar foi imposta e criada por Deus, e por vontade dele a família se resume a dois sexos diferentes que podem trazer a unidade da vida. Dar uma vida digna a um ser humano é educa-lo na fé, nos conceitos básicos cuja estão de acordo com as leis sagradas, iluminadas pela luz da verdade e não da mentira, pois a mentira não vive na luz, mas sim nas trevas.
      Um casal homossexual pode até dar uma vida digna á outro ser humano, mas uma vida longe de Deus, ou seja, longe dos valores da fé, e sem Deus o homem não é nada, é somente um ser predestinado a sua própria condenação. Viver longe de Deus é como pular em um abismo e se matar, é o mesmo que se condenar, pois paradoxalmente Deus não condena ninguém, mas é o próprio homem que se condena.
Espero que tenha ficado claro, e ressalto mais uma vez: a tendência homossexual não é pecado, mas a vivencia da pratica e a união homo afetiva é pecado sim, e são inimigas da família sem duvida alguma.

“Deus não condena ninguém, mas é o próprio homem que se condena!”

     Espero ter respondido com clareza, muito obrigado:

Lucas de Almeida Moraes.
 Este vídeo tem enfase catolica, mas explica bem o tema. O grande padre Paulo Ricardo explica o homossexualismo e a ideologia gay. o vídeo faz autonomia ao papa, mas o foco é na explicação voltada no tema, espero que gostem! 




   

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

O ataque a família que Deus criou!

família, proposito vivo de Deus!
Queridos amigos, hoje iremos refletir em uma das maiores coisas que Deus criou, onde ele expressou e expressa o seu amor para com o homem e o seu ardor para com sua criação: a família.
Meus caros leitores, dias passados coloquei uma pergunta no blog que é a seguinte: você é a favor da família? Sim ou não? Muitas pessoas responderam, e todos escreveram que sim, são a favor da família. Hoje vou apontar alguns sistemas e até leis que de alguma maneira ataca a instituição divina que é o centro familiar. Talvez as pessoas que leram e comentaram irão se surpreender e perceber que o mundo que elas vivem não é a favor de uma família unida, que ensina os valores, mas sim de uma família destruída que esta se desintegrando no seu sentido verdadeiro.

“Família foi instituída por Deus e não pelo homem, por isso quem ataca a família e seu verdadeiro sentido não agride só o homem de boa fé, mas também há Deus o supremo criador!”

Irei começar com a seguinte pergunta: Você é a favor ou concorda com a união homossexual?  Se você for você esta apoiando a destruição da família e o seu verdadeiro sentido. Uma união homo afetiva vai contra um sistema familiar que o próprio Deus criou na sua infinita e grandiosa sabedoria. Quando abrimos o livro do Gênesis nós nos deparamos com um modelo familiar, somente um onde ambos os sexos tem um papel importante para a unidade e a multiplicação de uma existência, que é constituído somente por um macho e uma fêmea, ou seja, um homem e uma mulher.

“Com a costela que avia tirado do homem, o Senhor Deus fez uma mulher e a levou até o homem.”
Gênesis 2, 22

“Por essa razão, o homem deixará pai e mãe e se unirá a sua mulher, e eles se tornarão uma só carne.”
Gênesis 2, 24

Deus fez o homem e a mulher para formar uma família debaixo de uma verdade e um concito divino. O homem foi quem quis transformar o homossexualismo em família, e não é! Família esta sendo atacada porque a sua finalidade esta virando lixo e o homem esta fazendo a sua vontade, mas esquece que a família é criação exclusiva de Deus. A felicidade é o que o homem sempre procurou, mas sempre seguiu pelo caminho errado, e nós temos isso bem presente na nossa historia. Des dos tempos da criação e a consumação do mundo o homem procura a felicidade por caminhos errados , é só revermos a historia de Adão e Eva que comeram o fruto no qual Deus os proibiu em busca de uma hegemonia e grandiosidade que os levaria a um estado de vangloriação e felicidade, e esta “felicidade” corrompida tinha a finalidade de os tornar maiores do que Deus. E eu pergunto: quantas pessoas não estão comendo este fruto proibido hoje para serem maiores e terem o poder de Deus? A humanidade já esta empanturrada de tantos frutos proibidos, mas nunca cansa e nem sacia a sua vontade de come-los!

“A vontade de homem jamais pode ultrapassar seus limites, e quando é ultrapassado o caminho para Deus fica mais extenso, e o da condenação fica mais curto!”

Ai vem o evangelho de Mateus nos mostrar o que Jesus tem a nos dizer:

“Pois aquele que fizer a vontade de Deus, esse é meu irmão, irmã e mãe.”
Mateus 3, 35

Ou seja, se nós todos colocarmos Deus no centro , nós nos tornamos uma família cuja é filha de um único pai a quem somos obedientes.
Outro ponto  que massacra a família é as drogas e sua maledicência. Os vícios é o ser diabólico que toma conta de diversas pessoas que um dia disseram sim para as drogas e suas consequências. Parece que hoje a família vale menos de que um cigarro de maconha, um pouco de pó e um litro de cachaça! E tem gente que ainda quer legalizar as drogas dentro de um pais onde os valores estão caindo dando espaço a vontade erronia e cômoda do homem!
A legalização das drogas não é um apelo de uma sociedade insensível de uma necessidade, mas sim um pedido que assinara a destruição da dignidade humana e da vida, ou seja, a destruição da família no seu leito de amor e educação, onde os muros que separam as nossas casas a uma rua se tornara uma eterna cadeia, que separa a realidade de uma família firme nos conceitos éticos e morais, e a outra realidade que vivifica e vangloria uma sociedade mega liberal, que marcha para uma guerra contra conceitos que alguns chamam de medievais, mas que sempre lutaram pela paz e o respeito.

“As drogas é a busca de uma paz fajuta, ela destrói e coloca a baixo a moral e princípios sagrados,  se torna uma idolatria, pois o vicio é colocado muitas vezes no devido lugar de Deus!”

A várias outras coisas que são contra a família e sua formação, não somente física, mas também educacional. Infelizmente é preciso que eu aponte outro suposto inimigo que deveria de fortalecer a família, e não prejudica-la, esse suposto inimigo é o estado!
Todas as coisas que eu apontei como inimigas da família o estado infelizmente ou aceita ou esta para aceitar. Vivemos em um pais laico mas que recebeu o cristianismo como uma iniciativa de valores, com uma finalidade plantada e enraizada na ética, e estes respectivos valores estão se esgotando. O que antigamente era motivo de escândalo como a liberação da maconha, hoje é um assunto que é comentado com uma normalidade perturbadora. Os tempos mudaram, são outros, a modernidade não quis resgatar os valores, simplesmente os deixaram escritos em meras linhas dos livros de historia, onde o passado é simplesmente lembrado pelas glorias e vitorias, e o presente pela destruição e a perca da essência da verdade. Hoje a família e seu alicerce virou um ato privado, onde cada um cuida da sua vivdinha presa ao comodismo e segue em frente rumo a perdição. O ato comunitário se perdeu, agora nesse mundo mesquinho é cada um por si, e deixaram de crer que Deus é por todos, porque se crescemos realmente que Deus é por todos nós não viveríamos separados, mas sim juntos, em equipe, pois juntos somos mais. Isso tudo não é radicalismo, mas sim a simples verdade. E se a verdade cobre e exija o radicalismo, nós iremos ser radicais.

“O sentido da família se perde a cada minuto no mundo todo, e o homem vendado com a incredulidade marcha rumo a perdição total, levando consigo aquilo que Deus o deu de bom grado, a família!”

Novamente eu pergunto, você é a favor da família? Sim ou não?

Lucas de Almeida Moraes  

Família sem Deus, é família desamparada!
   


   

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Em defesa da família!

Toda a doutrina social que visa destruir a família é má, e para mais inaplicável. Quando se decompõe uma sociedade, o que se acha como resíduo final não é o individuo mas sim a família!


Lucas de Almeida Moraes


O SABENDO MAIS SOBRE A IGREJA É A FAVOR DA FAMÍLIA! ENTRE NESSA TAMBÉM E DEFENDA A MAIS BELA CRIAÇÃO DE DEUS!


Você é a favor da família? Sim ou Não?


Escreverei mais sobre o assunto!  
A família é o centro de amor onde Deus expressa a sua preocupação conosco!

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Liberdade religiosa

Queridos amigos, é um prazer grandioso recebê-los aqui mais uma vez para outro momento de reflexão, onde juntos vamos explorar problemas que estão muito presentes no meio de nós e agridem a igreja. Hoje quero continuar o andamento filosófico do texto passado, onde abordamos alguns assuntos comparando os tempos atuais, igreja e seu corpo nos dias de hoje. Hoje quero abordar um assunto muito interessante e serio: a liberdade religiosa.
Sabe meus amigos, no século XIV da nossa era avia no mundo e especialmente na Europa muitos países teocráticos (estado teocrático é um pais com uma religião sede, exemplo hoje são alguns países do oriente médio) onde a política e todo o andamento nacional ou imperial de leis rodeia em torno de uma teologia posta pela religião. Temos um exemplo disso na França que foi o primeiro pais Cristão católico europeu, que recebeu o cristianismo não só como religião, mas também como um sistema político. Um estado teocrático não é correto , pois ninguém tem o direito de impor uma religião a alguém, é errado forçar alguém a viver naquela respectiva doutrina, pois viver uma religião por escolha pessoal é um direito humano e de consciência, de valores e pensamentos. Forçar alguém a viver uma fé não é a construção da verdade, mas sim da mentira, porque aquilo não é sincero, mas obrigatório.
Uma religião só é bela e verdadeira quando ela tiver qualidade, pois nesta qualidade se chega até a verdade. Uma religião imposta nunca terá qualidade, pois vive em uma mentira. A verdadeira verdade esta em um sim sincero, uma vontade que brota no coração daquele que quer seguir uma doutrina aonde ele se encaixe.
“Estamos mais preocupados com uma igreja de qualidade e que viva na verdade, não em uma igreja com os bancos cheios, mas que não esta comprometida com o evangelho!”
Papa Bento XVI
Hoje religião é um caso serio, onde temos que tomar cuidado com o que dizemos. Mas a maior arma da religião é o respeito e a valorização da dignidade da vida e é isto que nos une apesar das discordâncias doutrinarias. Aquilo que deixa um crer mais bonito e ver o amor que ele oferece, não só aqueles que vivem dentro deste crer, mas também quem esta fora. Uma religião que se preze é aquela que ama até quem não ha segue!  
A muitos monstros que agridem a igreja e a religião ao todo, e devem ser aniquilados como o laicismo. Um sistema como o laicismo é um dos maiores inimigos da religião, pois ele tem ênfase em êxitos marxistas, que vê a religião como uma coisa não necessária, que deve ser destruída e aniquilada do mundo. Se vocês pensam que o laicismo é fraco na nossa geração estão muito enganados. Muitos países não se declaram, mas são fortemente laicistas, que jogam os valores fora, de uma sociedade vivificada e educada nos valores da fé. O laicismo é inimigo e opressor de conceitos éticos e morais que não estão nem ai para a opinião publica, mas sim para um andamento de uma nação ditadora e livre de valores religiosos que muitas vezes interferem nas leis e decretos postos a população.
“O laicismo é o inimigo numero 1 da religião. Ele quer retirar nossos valores constituídos pela fé e nos impor uma política de ma fé e ateia!”
Outro ponto muito sério que gostaria de abordar é o desrespeito a religião pelos seus símbolos e ritos. Um exemplo é o que aconteceu há um tempo atrás em nosso país, onde pessoas protestaram contra a forte presença do cristianismo na nossa política e também a presença da cruz nas repartições e órgãos públicos. Chega até ser uma vergonha este ato na nossa nação que praticamente foi parida pela cristandade, e temos o exemplo carimbado na nossa historia nacional. Eu pergunto: o que foi a primeira coisa que os portugueses fizeram quando chegaram ao Brasil em 22 de abril de 1500? Foi celebrar uma missa católica cristã! Este solo foi consagrado a Cristo quando foi descoberto pela civilização! É impossível graças a Deus tirar o cristianismo que é tão forte no nosso país. O Brasil não é um pais laicista e nem mais um pais teocrático, pois um dia foi. A nossa pátria é um pais laico, que aceita e respeita todas as religiões, mas ele não esta livre dos problemas de liberdade religiosa.
O Brasil é um pais laico, mas nos impõe a religião quase que como um ato privado, ou seja, algo para que seja celebrado em casa. Ora, ai se perde toda a grande essência que é viver em comunidade, de dialogo entre pessoas e até do ecumenismo.
A igreja não foi feita para ser realizada e consumada em nossas casas, pois em uma casa vive uma família, mas esta família precisa crescer e na igreja nós temos este crescimento, o aumento do corpo místico que nos transforma em um só para se encontrar com o único pai que é Deus.
Religião é um fato para ser discutido sim, pois se não houvesse discussão nós não teríamos doutrinas tão bem formadas intelectualmente como nós temos hoje. Mas é claro, uma discução que tenha um alicerce de respeito e compreensão para com as diferenças. Afinal respeitar as diferenças é amar, e quem ama segue aquele lindo mandamento: amai uns aos outros como a si mesmo!
“O amor não pratica o mal contra o próximo. Portanto, o amor é o comprimento da lei!”
Romanos 13, 10        

Lucas de Almeida Moraes
liberdade religiosa, o dialogo e um mundo com paz!

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

A igreja e os dias atuais.

Queridos leitores que mais uma vez se encontram no blog sabendo mais sobre a igreja, é um prazer recebe-los para mais um momento de reflexão. Hoje os convido a olhar para o agora, para o momento presente, para o segundo permanente e analisem a sociedade onde vivemos atualmente. Em que condições estamos vivendo, em uma população global que acredita ou que decai na fé? Uma sociedade fiel ou transgressora? Eu tenho certeza que todos nós temos a resposta.
Hoje vivemos em meio a uma sociedade mega secularizada, educada neste secularismo radical e o iluminismo excessivo que é descrente. O homem esta sendo ensinado e seguindo o método falso de que Deus não é substancial para a existência, mas é uma figura como um fantoche controlado pelo tempo.
“Sem Deus nada funciona com um proposito. Funciona por meramente funcionar, mas não esta sobre a luz.”
A igreja que é chamada brutalmente de transgressora do progresso vem nos apresentar que esta ideologia de liberdade não é correta, e também nos mostra que esta liberdade em vez de libertar nos prendem a sistemas radicais e persuasivos que não passam de criação por hegemonia privada. A igreja sofre, pois é vista como medieval, uma velhinha sentada e fazendo seu tricô, dona de valores arcaicos e desgastados pelo tempo. Eu particularmente chamo isso de falso progresso da libertação. Ai vocês me perguntam; porque progresso da libertação? Simplesmente porque ideologias como o marxismo ateu ultrapassaram os muros humanos da igreja e se camuflaram dentro de setores onde deveria fortificar a fé e não desgasta-la com mentiras.  
Gostaria de fazer um pequeno comentário sobre o texto passado onde eu falo de uma teologia que se denomina: teologia da libertação, onde eu recebi algumas criticas de algumas áreas até da igreja cristã. Eu digo o seguinte:
“Porque a teologia da libertação não é bem vista com bons olhos por muitos? Simplesmente porque durante anos ela foi a voz dos pobres perante aos poderosos!”
Sabe meus amigos, eu acabei de dizer que o marxismo ateu invadiu a igreja humana, e invadiu a esta igreja e criou um pensamento de liberdade pela teologia da libertação. Ao meu ver existem duas. A teologia da libertação que foi criada para dar uma resposta cristã para a pobreza crônica, a desigualdade e os direitos humanos tem seu lado completamente errado, pois visa em pensamentos e filosofia de caráter marxista que são ateus. Saibam que não existe marxismo com religião, pois já dizia Marx, que a religião é o grande mau milenar e que a paz será alcançada com a destruição da tão maléfica religião. Ora meus amigos, foi a religião que colocou valores a nós, foi ela que educou inúmeros países nos princípios da ética, da paz, do dialogo, ou seja, se destrói uma religião se destrói uma cultura, um alicerce que sustenta uma casa que quer ser derrubada em nome de um segmento ateu. Existe o verdadeiro pensamento que da a resposta cristã a todos os problemas sociais da sociedade, e isso se chama: doutrina social da igreja, que explica muito bem porque que vivemos em um mundo tão desigual.
A igreja não vive presa a um regime humano como o capitalismo e o comunismo. A igreja vive simplesmente o cristianismo, ou melhor, um socialismo cristão que não é radical na visão da igualitariedade de status, mas a igualitariedade espiritual, ou seja, todos nós somos iguais perante Deus, o que vai me salvar não ira ser meu computador de ultima geração, minha pasta de couro, o meu carro, o meu dinheiro e nada o que a terra pertence, mas sim o que Deus criou, o que esta além dos nossos olhos, o que esta prezo dentro de nós, a nossa alma que um dia voltara para a sua natureza.
“A nossa igualitariedade não esta diante dos homens, mas diante de Deus, que criou as pessoas para terem a escolha de serem iguais pelo espirito e viver a mesma plenitude da salvação!”
Nós cristãos temos que ser firmes na fé, e para ser firme na fé nós não podemos agir pela raiva, porque é isso que o inimigo quer, ele quer a revolução armada com o ódio, mas o correto é o dialogo, porque acreditem, as palavras ainda tem poder, tanto é que a mesma forma que a mil anos atrás pessoas se converteram a Cristo pela mesma palavra que temos hoje, ou seja, o poder das palavras quando ditas com convicção tem valor sim. Ai vem o desinformado e diz: a igreja é uma marqueteira propagandista! Ai é que esta. Como diz Dom Henrique Soares que é um bispo católico que particularmente o admiro:
“A igreja não é feita de propaganda, mas sim de testemunhas!”
Veja isso na nossa historia. Os primeiros cristãos da igreja primitiva espalharam a cristandade porque foram testemunhas de Cristo, alguns como Pedro e João até oculares, e nós hoje na igreja contemporânea pelo tempo mas a mesma pela sua natureza, somos testemunhas pela fé no Cristo que triunfou da morte e nos trouxe a vida. Nós não devemos ser cristãos porque Cristo fez milagres, mas sim porque Jesus é Deus, e ele é o caminho, a verdade e a vida, e o resto é consequência da fé.
Sabe porque o mundo hoje é tão anticristão, tão medonho e ateu? Por causa da loucura da cruz! A morte de um Deus é um escândalo para alguns, é a falsa resposta da existência da divindade acima de nós. Mas o amor de Jesus para conosco foi o que libertou vidas da morte, ele naquela cruz foi humano, sentiu as dores humanas, estava vulnerável a carne  mas não perdeu a sua divindade, pelo contrario, na cruz Cristo radia a sua divindade, pois seu amor foi tão grande que chegou ao ponto de ser sub-humano, e teve a capacidade de encarar a morte para que eu e você estivéssemos lendo este texto hoje.
“A loucura da cruz nos revela novamente a humanidade e a divindade de Cristo, pois sentiu a dor humana, mas também sentiu o amor divino, a ponto de ficar calado e fazer a sua oração no silencio agonizante e perturbador.”
Meus caros, saibam que a igreja pode ser criticada e flagelada, mas ela sempre continuara a mesma, no mesmo foco que é Jesus Cristo, o seu sumo criador. O difícil é que nós cristãos optamos pelo amor, e o danado do amor passa pelo sofrimento, mas vai nos dizer Paulo: que todos nós temos o privilegio de sofrer por Cristo!
escreverei mais sobre o assunto!
Lucas de Almeida Moraes   
Cada um tem a misão nesta obra!