Pages

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

A igreja e os dias atuais.

Queridos leitores que mais uma vez se encontram no blog sabendo mais sobre a igreja, é um prazer recebe-los para mais um momento de reflexão. Hoje os convido a olhar para o agora, para o momento presente, para o segundo permanente e analisem a sociedade onde vivemos atualmente. Em que condições estamos vivendo, em uma população global que acredita ou que decai na fé? Uma sociedade fiel ou transgressora? Eu tenho certeza que todos nós temos a resposta.
Hoje vivemos em meio a uma sociedade mega secularizada, educada neste secularismo radical e o iluminismo excessivo que é descrente. O homem esta sendo ensinado e seguindo o método falso de que Deus não é substancial para a existência, mas é uma figura como um fantoche controlado pelo tempo.
“Sem Deus nada funciona com um proposito. Funciona por meramente funcionar, mas não esta sobre a luz.”
A igreja que é chamada brutalmente de transgressora do progresso vem nos apresentar que esta ideologia de liberdade não é correta, e também nos mostra que esta liberdade em vez de libertar nos prendem a sistemas radicais e persuasivos que não passam de criação por hegemonia privada. A igreja sofre, pois é vista como medieval, uma velhinha sentada e fazendo seu tricô, dona de valores arcaicos e desgastados pelo tempo. Eu particularmente chamo isso de falso progresso da libertação. Ai vocês me perguntam; porque progresso da libertação? Simplesmente porque ideologias como o marxismo ateu ultrapassaram os muros humanos da igreja e se camuflaram dentro de setores onde deveria fortificar a fé e não desgasta-la com mentiras.  
Gostaria de fazer um pequeno comentário sobre o texto passado onde eu falo de uma teologia que se denomina: teologia da libertação, onde eu recebi algumas criticas de algumas áreas até da igreja cristã. Eu digo o seguinte:
“Porque a teologia da libertação não é bem vista com bons olhos por muitos? Simplesmente porque durante anos ela foi a voz dos pobres perante aos poderosos!”
Sabe meus amigos, eu acabei de dizer que o marxismo ateu invadiu a igreja humana, e invadiu a esta igreja e criou um pensamento de liberdade pela teologia da libertação. Ao meu ver existem duas. A teologia da libertação que foi criada para dar uma resposta cristã para a pobreza crônica, a desigualdade e os direitos humanos tem seu lado completamente errado, pois visa em pensamentos e filosofia de caráter marxista que são ateus. Saibam que não existe marxismo com religião, pois já dizia Marx, que a religião é o grande mau milenar e que a paz será alcançada com a destruição da tão maléfica religião. Ora meus amigos, foi a religião que colocou valores a nós, foi ela que educou inúmeros países nos princípios da ética, da paz, do dialogo, ou seja, se destrói uma religião se destrói uma cultura, um alicerce que sustenta uma casa que quer ser derrubada em nome de um segmento ateu. Existe o verdadeiro pensamento que da a resposta cristã a todos os problemas sociais da sociedade, e isso se chama: doutrina social da igreja, que explica muito bem porque que vivemos em um mundo tão desigual.
A igreja não vive presa a um regime humano como o capitalismo e o comunismo. A igreja vive simplesmente o cristianismo, ou melhor, um socialismo cristão que não é radical na visão da igualitariedade de status, mas a igualitariedade espiritual, ou seja, todos nós somos iguais perante Deus, o que vai me salvar não ira ser meu computador de ultima geração, minha pasta de couro, o meu carro, o meu dinheiro e nada o que a terra pertence, mas sim o que Deus criou, o que esta além dos nossos olhos, o que esta prezo dentro de nós, a nossa alma que um dia voltara para a sua natureza.
“A nossa igualitariedade não esta diante dos homens, mas diante de Deus, que criou as pessoas para terem a escolha de serem iguais pelo espirito e viver a mesma plenitude da salvação!”
Nós cristãos temos que ser firmes na fé, e para ser firme na fé nós não podemos agir pela raiva, porque é isso que o inimigo quer, ele quer a revolução armada com o ódio, mas o correto é o dialogo, porque acreditem, as palavras ainda tem poder, tanto é que a mesma forma que a mil anos atrás pessoas se converteram a Cristo pela mesma palavra que temos hoje, ou seja, o poder das palavras quando ditas com convicção tem valor sim. Ai vem o desinformado e diz: a igreja é uma marqueteira propagandista! Ai é que esta. Como diz Dom Henrique Soares que é um bispo católico que particularmente o admiro:
“A igreja não é feita de propaganda, mas sim de testemunhas!”
Veja isso na nossa historia. Os primeiros cristãos da igreja primitiva espalharam a cristandade porque foram testemunhas de Cristo, alguns como Pedro e João até oculares, e nós hoje na igreja contemporânea pelo tempo mas a mesma pela sua natureza, somos testemunhas pela fé no Cristo que triunfou da morte e nos trouxe a vida. Nós não devemos ser cristãos porque Cristo fez milagres, mas sim porque Jesus é Deus, e ele é o caminho, a verdade e a vida, e o resto é consequência da fé.
Sabe porque o mundo hoje é tão anticristão, tão medonho e ateu? Por causa da loucura da cruz! A morte de um Deus é um escândalo para alguns, é a falsa resposta da existência da divindade acima de nós. Mas o amor de Jesus para conosco foi o que libertou vidas da morte, ele naquela cruz foi humano, sentiu as dores humanas, estava vulnerável a carne  mas não perdeu a sua divindade, pelo contrario, na cruz Cristo radia a sua divindade, pois seu amor foi tão grande que chegou ao ponto de ser sub-humano, e teve a capacidade de encarar a morte para que eu e você estivéssemos lendo este texto hoje.
“A loucura da cruz nos revela novamente a humanidade e a divindade de Cristo, pois sentiu a dor humana, mas também sentiu o amor divino, a ponto de ficar calado e fazer a sua oração no silencio agonizante e perturbador.”
Meus caros, saibam que a igreja pode ser criticada e flagelada, mas ela sempre continuara a mesma, no mesmo foco que é Jesus Cristo, o seu sumo criador. O difícil é que nós cristãos optamos pelo amor, e o danado do amor passa pelo sofrimento, mas vai nos dizer Paulo: que todos nós temos o privilegio de sofrer por Cristo!
escreverei mais sobre o assunto!
Lucas de Almeida Moraes   
Cada um tem a misão nesta obra!
                                                   

Nenhum comentário:

Postar um comentário