Pages

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Liberdade religiosa

Queridos amigos, é um prazer grandioso recebê-los aqui mais uma vez para outro momento de reflexão, onde juntos vamos explorar problemas que estão muito presentes no meio de nós e agridem a igreja. Hoje quero continuar o andamento filosófico do texto passado, onde abordamos alguns assuntos comparando os tempos atuais, igreja e seu corpo nos dias de hoje. Hoje quero abordar um assunto muito interessante e serio: a liberdade religiosa.
Sabe meus amigos, no século XIV da nossa era avia no mundo e especialmente na Europa muitos países teocráticos (estado teocrático é um pais com uma religião sede, exemplo hoje são alguns países do oriente médio) onde a política e todo o andamento nacional ou imperial de leis rodeia em torno de uma teologia posta pela religião. Temos um exemplo disso na França que foi o primeiro pais Cristão católico europeu, que recebeu o cristianismo não só como religião, mas também como um sistema político. Um estado teocrático não é correto , pois ninguém tem o direito de impor uma religião a alguém, é errado forçar alguém a viver naquela respectiva doutrina, pois viver uma religião por escolha pessoal é um direito humano e de consciência, de valores e pensamentos. Forçar alguém a viver uma fé não é a construção da verdade, mas sim da mentira, porque aquilo não é sincero, mas obrigatório.
Uma religião só é bela e verdadeira quando ela tiver qualidade, pois nesta qualidade se chega até a verdade. Uma religião imposta nunca terá qualidade, pois vive em uma mentira. A verdadeira verdade esta em um sim sincero, uma vontade que brota no coração daquele que quer seguir uma doutrina aonde ele se encaixe.
“Estamos mais preocupados com uma igreja de qualidade e que viva na verdade, não em uma igreja com os bancos cheios, mas que não esta comprometida com o evangelho!”
Papa Bento XVI
Hoje religião é um caso serio, onde temos que tomar cuidado com o que dizemos. Mas a maior arma da religião é o respeito e a valorização da dignidade da vida e é isto que nos une apesar das discordâncias doutrinarias. Aquilo que deixa um crer mais bonito e ver o amor que ele oferece, não só aqueles que vivem dentro deste crer, mas também quem esta fora. Uma religião que se preze é aquela que ama até quem não ha segue!  
A muitos monstros que agridem a igreja e a religião ao todo, e devem ser aniquilados como o laicismo. Um sistema como o laicismo é um dos maiores inimigos da religião, pois ele tem ênfase em êxitos marxistas, que vê a religião como uma coisa não necessária, que deve ser destruída e aniquilada do mundo. Se vocês pensam que o laicismo é fraco na nossa geração estão muito enganados. Muitos países não se declaram, mas são fortemente laicistas, que jogam os valores fora, de uma sociedade vivificada e educada nos valores da fé. O laicismo é inimigo e opressor de conceitos éticos e morais que não estão nem ai para a opinião publica, mas sim para um andamento de uma nação ditadora e livre de valores religiosos que muitas vezes interferem nas leis e decretos postos a população.
“O laicismo é o inimigo numero 1 da religião. Ele quer retirar nossos valores constituídos pela fé e nos impor uma política de ma fé e ateia!”
Outro ponto muito sério que gostaria de abordar é o desrespeito a religião pelos seus símbolos e ritos. Um exemplo é o que aconteceu há um tempo atrás em nosso país, onde pessoas protestaram contra a forte presença do cristianismo na nossa política e também a presença da cruz nas repartições e órgãos públicos. Chega até ser uma vergonha este ato na nossa nação que praticamente foi parida pela cristandade, e temos o exemplo carimbado na nossa historia nacional. Eu pergunto: o que foi a primeira coisa que os portugueses fizeram quando chegaram ao Brasil em 22 de abril de 1500? Foi celebrar uma missa católica cristã! Este solo foi consagrado a Cristo quando foi descoberto pela civilização! É impossível graças a Deus tirar o cristianismo que é tão forte no nosso país. O Brasil não é um pais laicista e nem mais um pais teocrático, pois um dia foi. A nossa pátria é um pais laico, que aceita e respeita todas as religiões, mas ele não esta livre dos problemas de liberdade religiosa.
O Brasil é um pais laico, mas nos impõe a religião quase que como um ato privado, ou seja, algo para que seja celebrado em casa. Ora, ai se perde toda a grande essência que é viver em comunidade, de dialogo entre pessoas e até do ecumenismo.
A igreja não foi feita para ser realizada e consumada em nossas casas, pois em uma casa vive uma família, mas esta família precisa crescer e na igreja nós temos este crescimento, o aumento do corpo místico que nos transforma em um só para se encontrar com o único pai que é Deus.
Religião é um fato para ser discutido sim, pois se não houvesse discussão nós não teríamos doutrinas tão bem formadas intelectualmente como nós temos hoje. Mas é claro, uma discução que tenha um alicerce de respeito e compreensão para com as diferenças. Afinal respeitar as diferenças é amar, e quem ama segue aquele lindo mandamento: amai uns aos outros como a si mesmo!
“O amor não pratica o mal contra o próximo. Portanto, o amor é o comprimento da lei!”
Romanos 13, 10        

Lucas de Almeida Moraes
liberdade religiosa, o dialogo e um mundo com paz!

Um comentário:

  1. Meniino usado poor Deus!
    Curti principalmente essa parte:

    “ Estamos mais preocupados com uma igreja de qualidade e que viva na verdade, não em uma igreja com os bancos cheios, mas que não esta comprometida com o evangelho!”

    - Devemos parar de nos preocupar com quantidade, e começar dar valor nas Qualidades que existem dentro das igrejas!

    Parabés continue assim Lucaas.

    ResponderExcluir