Pages

terça-feira, 22 de novembro de 2011

A pobreza e a igreja.

A pobreza não tem sorriso, mas ela também tem sua
felicidade, pois Jesus foi feliz sendo pobre!

      Queridos amigos, mas uma vez nos encontramos para mais um momento de reflexão, onde podemos explorar o campo da filosofia e mergulhar intensamente na palavra aqui posta que sem duvida é inspirada por Deus. Hoje quero mostrar a vocês a grande participação da igreja em relação da defesa dos menos favorecidos, dos marginalizados e carentes ao decorrer da historia.
      A igreja tem grande participação na vida do pobre dês dos tempos em que Jesus Cristo a fundou, pois ele não instituiu a sua criação sobre ouro e prata, mas colocou a sua igreja sobre a humildade de simples pessoas, que viviam do pouco, mas ao mesmo tempo tinham tudo, pois tinham a Cristo!

“A igreja foi formada sobre a humildade do homem simples!”

“O rico e o pobre tem isto em comum: o Senhor é criador de ambos.”
Provérbios 22, 2

        Ao decorrer da historia em que o cristianismo esteve presente na vida cotidiana das pessoas, podemos nos deparar com seu caráter e esforço para garantir a dignidade do pobre. Sempre tentou mostrar de uma forma tão bela que no pobre sofredor esta a face de Cristo, exposto em seu sacrifício de carregar uma cruz.
         Os primeiros centros de acolhimento dessas pessoas carentes ocorreram no século XI, onde a igreja criou vários locais para recebe-los e trata-los. A própria igreja criou orfanatos, escolas, hospitais e universidades para acolher os pobres de maneira muito especial, se transformando assim em uma defensora árdua da colocação igualitária do pobre no meio social.
         O espirito clerical é este: doar a vida para o bem estar do próximo! Doar a vida não e morrer ao prol do outro, mas viver intensamente para seu próximo! Doar a vida pelo outro é imitar Jesus, que ofereceu toda a sua vivencia para apascentar as ovelhas desgarradas, ensinar sobre o reino de Deus e dizer não para a vontade da minha carne. Doar a vida é deixar a sua casa, seus pais e sua família para se juntar a uma grande e numerosa população cuja Cristo é o pai que une a todos.

Ela esta errada?
“Prova de amor maior não há, do que doar a sua vida ao bem estar do próximo!”

“Alguns fingem que são ricos e nada tem, outros fingem ser pobres , e tem grande riqueza.
As riquezas de um homem servem de resgate para a sua vida, mas o pobre nunca recebe ameaças.”
Provérbios 13, 7-8

           Uma coisa eu lhes digo: ainda que o mundo honre os ricos, não se surpreenda com o fato de que Deus honra o pobre. O rico muitas vezes é cegado pelo seus bens materiais, é aquele que tem tudo, mas sempre parece que não tem nada. O rico que se iguala ao pobre é aquele que usa de seu poder para ajudar o necessitado ter vós ao meio de uma bagunça desorientada social em que vivemos.  
             Negar ajuda ao próximo é uma ofensa para Deus, ou seja, se torna um pecado! Quem da as costas para o necessitado contribui para a injustiça e a marginalização. Quem olha para a justiça e diz não esta perto da condenação, pois feliz é aquele que faz a justiça acontecer, pois eles mesmos serão justiçados pela gloria de Deus. Já nos diz a própria palavra de Deus:

“Quem despreza o próximo comete pecado, mas como é feliz quem trata com bondade os necessitados!”
Provérbios 14, 21

             Deus promete o céu para aqueles que fazem da justiça uma pratica, pois vale ressaltar e reconhecer que a nossa sociedade e especialmente a nação brasileira, vive falando sobre justiça, mas no final das contas o que foi tão aclamado e lutado, vive preso e estampado em pilhas e pilhas de papeis, esperando uma boa vontade aprova-las!

”Não explore os pobres por serem pobres, nem oprima os necessitados no tribunal, pois o Senhor será o advogado deles, e despojara da vida os que despojarem.”
Provérbios 22, 22-23
             Saibam meus amigos, como dizia o grande defensor dos pobres, Dom Hélder Câmara: Não pensem que Deus aprova a miséria, Deus não aprova as injustiças. As injustiças são um problema nosso e não de Deus! Quantas e quantas vezes eu mesmo, Lucas, já andei em antros de grandes cidades, já participei de missas presididas por amigos padres, pois não nego meu berço católico, e vejo u povo sofrido e miserável gritando o salmo 23: O Senhor é meu pastor e nada me faltara! Mas eu olhos de um lado para o outro e chego a conclusão que esta faltando é tudo!
              Para fazer com que a solidariedade e a fraternidade aconteça é preciso que se pague um preço, e inúmeras vezes este preço se paga atrás das grades, com a exclusão, com o exilio e até com a própria vida! Peço meu caro, que abre um livro de historia nacional , e veja quantas pessoas e inclusive religiosos que pregavam a justiça foram caçados feito animais na horrorosa ditadura militar! Pessoas como Dom Hélder Câmara, Padre Carlos Gilberto Machado, Padre Geraldo Oliveira, Pastor Marcos Siguirelo Cavalcante e tantos outros sacerdotes, pastores, leigos e todo povo comprometido com a causa dos pobres.

“Bem aventurados é aquele que considera o pobre , o Senhor o livrara no dia do mal.”
Salmo 41, 1

              Veja meus caros, enxergue, abra os olhos e veja nos becos, nas favelas nas esquinas e nos lugares mais distantes e sub-humanos, pessoas, seres humanos, indevidos como nós que gritam para serem ouvidos, para serem entendidos, para serem compreendidos! Uma mãe que deixa de se alimentar para dar o de comer para seus filhos que choram na barra da saia rasgada. Um homem que deixa a sua ferida exposta na rua, mostrando o seu fracasso sem misericórdia de uma sociedade onde funciona um por todos, e todos por ninguém. Eu digo com toda a coragem: Não é o pobre que é louco, mas nós somos! Nós que temos tudo mas não temos ao mesmo tempo nada, pois o nosso orgulho de ser quem somosnos afasta de Cristo. O pobre é aquele mendigo rico! Mendigo porque não tem nada, mas rico porque tem Cristo ao seu lado! Louco somos nós, que não deixa a misericórdia e a compaixão tomar conta de nosso ser, de não se colocar no lugar do outro e tentar imaginar as dificuldades da vida que não nos atinge. Realmente, não ter compaixão do próximo é uma questão de loucura, e esta louca doença pode nos levar a condenação! Por isso busque o remédio.

“Quem fecha os ouvidos ao clamor dos pobres também clamará e não terá resposta.”
Provérbios 21, 13

            A igreja como representante e criação de Jesus deixada sobre a terra tem a obrigação de zelar e dar a devida atenção para as menores classes, pois a igreja é a voz de Cristo, e se Cristo pede nós fazemos, se a Igreja recomenda para nós como entendedores da palavra devemos intender a beneficência de seu pedido. Se em algum momento ela deixar que a injustiça aconteça sem denuncia-la ela perde a sua verdadeira essência de protetora, e da lugar para que o mau a controle.
             Caros leitores, a maior miséria que se encontra na humanidade não é a pobreza em si, mas a injustiça que ocupa o devido lugar da fraternidade e solidariedade no coração dos homens. Por isso ouça e ajuda o pobre, aquele que grita e quer ser escutado, aquele que é o rosto de Cristo, que em sua grandeza esta a pequenez,  se faz grande a expectativa da espera da justiça, pois Deus nos fala que felizes são os injustiçados, pois  eles irão ver a justiça benéfica e o reino dos céus.

“Oprimir o pobre é ultrajar o seu Criador, mas tratar com bondade o necessitado é honrar a Deus”
Provérbios 14, 31

“A testemunha corrupta zomba da justiça, e a boca dos ímpios tem fome de iniquidade.”
Provérbios 19, 28      

 Lucas de Almeida Moraes  

  

Um comentário:

  1. Muito bom seu texto Lucas
    "O rico e o pobre tem isto em comum: o Senhor é criador de ambos"
    essa frase... *-*

    Diego Padovani

    ResponderExcluir