Pages

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Pai nosso




Nós nos tornamos filhos quando
reconhecemos o senhorio de Deus em nossa
vida. 

      Queridos amigos, é uma alegria muito grande estar com vocês novamente, onde nos unimos para refletir naquilo que Deus na sua infinita sabedoria quer nos revelar de forma particular. Hoje, quero aproveitar este clima no qual estamos entrando, onde as luzes natalinas já piscam e chamam a nossa atenção, para colocar no centro de nossa reflexão simplesmente e grandiosamente Jesus Cristo e a sua paternidade.
Antes de começarmos gostaria de refletir uma passagem bíblica que nos ajudara a compreender o tema que hoje é proposto.

“Portanto, orai vós deste modo: Pai nosso que estás nos céus, santificado seja teu nome, venha nós ao vosso reino, seja feita tua vontade, assim na terra como nos céus, o pão nosso de cada dia nos dai hoje, e perdoai as nossas ofensas assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido e não nos deixe cair na tentação, mas livrai-nos de todo mal. Porque teu é o reino e o poder, e a gloria, para sempre, amem.”
Mateus 6: 9-13

         Como vocês já perceberam esta foi a oração modelo que o próprio Cristo nos ensinou, o conhecido “Pai nosso”. Hoje vamos refletir nessa oração tão completa e tão cheia de compreensão, mas não em todos os seus pontos, mas focaremos em um no qual tem grande significado.  
         Jesus mostra como nós, homens, podemos falar com Deus, nosso pai. A cada frase ele expressa uma verdade e uma necessidade que esta presente no nosso cotidiano. A primeira parte desta oração é o ápice que da nome a este texto: Pai Nosso. Caríssimos, quando reconhecemos que Deus é nosso pai nós estamos dispostos a obedece-lo como nós obedecemos a figura paterna humana. Deus é o criador de toda a vida, ele esta a frente de toda evolução biológica e cientifica. Somos frutos de sua inteligência e grandiosa sabedoria, onde por sua vontade colocou as suas mãos no barro e modelou o homem a sua imagem e semelhança, e foi também por sua vontade que retirou da costela de Adão aquilo que chamamos de mulher, que é senhora da doçura e da fragilidade, aquilo que por graça sem igual traz vida a este mundo e a unidade dos homens.   

“Deus realmente é pai e Senhor de toda criação!”

Reconhecemos que um dia
um Pai deu a vida pelos
seus filhos.
        Quando o próprio Jesus diz: Pai nosso, ele invoca o criador com suprema humildade e submissão, pois ele destaca grandiosamente a sua natureza humana, fazendo de Deus seu pai como se ele não fizesse parte de sua divindade. Mas não foi essa a intenção de Cristo, ele não faz isso propositalmente, mas sim com o objetivo de se igualar a nós, para mostrar que Deus é seu pai como também ele é nosso pai. Jesus quando diz Pai nosso é como se ele fosse a boca de toda existência, que proclama que somos todos irmãos, que somos uma família na qual se reúne em volta de um único Pai, e professa a ele a devida obediência.
        Vale lembrar que não somos todos filhos de Deus. Talvez esta verdade cause espanto em muitos, mas filho de Deus é só aquele que aceita Jesus Cristo de maneira muito especial, fazendo dele não somente um ícone histórico, mas a razão de estarmos hoje vivos e com a certeza que existe um céu, pois Jesus morreu, desceu a mansão dos mortos e ressuscitou no terceiro dia, nos garantindo que a existência da vida eterna não é algo inventado, mas uma certeza concreta que nos aguarda. Aquele que não aceita Deus e seu supremo senhorio não é filho mas sim criatura, aquela criatura com um vazio a ser preenchido, que não é contentado e nem completo com as coisas do mundo, mas somente com as coisas do alto. A peça que falta no seu quebra cabeça é Deus! A família, os irmãos cuja Deus é o pai, recebe toda criatura para se tornar um membro desta numerosa multidão de braços abertos.

“Nem todos são filhos de Deus, mas são convidados constantemente para fazer parte desta família.”

Nós filhos de Deus somos convidados a imita-lo. A palavra já nos alerta sobre isso com muita clareza:
“Sede imitadores de Deus, como filhos amados.”
Efésios 5, 1

       Somos constantemente convidados a buscar a santidade imitando a Deus. Todo  filho que ama verdadeiramente seu pai, obedece o que ele pede, e Deus pede para que nós busquemos ser como ele. Como humanos cheios de limitações nunca seremos como Deus, ele esta muito além de nós em infinitos aspectos, mas somos chamados constantemente a busca-lo e eliminar as nossas faltas e culpas diante deste desafio de buscar a santidade constantemente. É preciso que temos ordem e disposição para este desafio, pois trabalhar com ordem é imitar a Deus, e convenhamos que isto não é nada fácil, mas também não é impossível.

“Tudo deve ser feito com decência e ordem.”
1 Coríntios 14, 40

       Na cruz, Cristo pagou um alto preço para que nós todos fossemos resgatados de nossas próprias iniquidades que estavam nos levando ao mau. Tudo isso foi gratuito! O sangue de Cristo e sua preciosidade foi derramado sobre nós, eliminando toda a maldição e dando lugar a oportunidade da salvação, pois Deus abriu a porta, agora é hora de fazer nossa parte de entrar.
      Nós precisamos viver uma vida cristã que seja visível, como filhos obedientes, no qual as pessoas possam ver em nós a fase de Cristo estampada na nossa alegria de pertencer a Deus.

“Vejam como é grande o amor que o pai nos concedeu: Sermos chamados filhos de Deus, o que de fato somos! Por isso o mundo não nos conhece, porque não o conheceu. Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não se manifestou o que havemos de ser, mas sabemos que quando ele se manifesta, seremos semelhantes a ele, pois veremos como ele é.”
1 João 3, 1-2

     Queridos, Deus é o pai que recebe aquele filho perdido, que desejou a sua herança e partiu para o mundo e seus prazeres, lá conheceu o fracasso e a dor, e agora, arrependido volta para casa desesperado buscando perdão e misericórdia. Deus troca reinos por você, ele da a vida por cada um de nós, e se fosse preciso ele se faria humano novamente e morreria na cruz de braços abertos, pronto para te dar um abraço cheio de amor. Pense nisso, seja um filho que retorna a casa do Pai que morre de saudades!

“Pode existir entre todos os nomes um que nos relacione melhor com Deus que o nome Pai? Como é carinhosa, suave, sentido e cordial esta palavra!”
Martinho Lutero

“O próprio Espirito testemunha ao nosso espirito que somos herdeiros: Herdeiros de Deus e co-herdeiros com Cristo, se de fato participamos dos seus sofrimentos, para que também participemos da sua gloria.”    

  Lucas de Almeida Moraes 



                                Importante ver o vídeo! De alguma forma Deus vai falar com você



Nenhum comentário:

Postar um comentário