Pages

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

África, o continente que chora

Lagrimas no meio de belezas! 

        Queridos amigos, hoje os convido a partilhar conosco o sofrimento de uma gente que des dos primeiros séculos vem sofrendo das piores doenças, das piores guerras, miséria, conflitos raciais e religiosos. O continente africano é com certeza berço de uma beleza natural de imenso valor, um local onde Deus caprichou no momento da criação, local onde teve as mais belas ideias e expressou lindamente a sua sabedoria. Assim como aquele continente é local de belezas ele também é um território de lagrimas e sofrimento, onde a vida não vale quase nada. Um lugar onde a morte de vários indivíduos vitimas da fome não é novidade e nem causa de espanto para um povo que não consegue contar nos dedos os inúmeros falecidos.
        A África é palco das mais severas calamidades sub-humanas da face da Terra. Aquele povo de fato diariamente anda de mãos dadas com a angustia. Um sorriso é difícil de se ver naqueles rostos tristes, abatidos e sofridos, onde uma lagrima dribla o rosto do homem fraco, silenciosa, deixa seus rastros na face do sofrimento, a face imóvel, pois não encontra nem forças para chorar.

“Um choro de séculos, a dor ânsia, o sofrimento rigoroso, a lagrima que soma toda dor e se torna um oceano de penúria.”

       Perguntaram-me uma vez se Deus tinha esquecido do continente africano, eu fiquei pensando e não soube responder, mas cheguei a conclusão que ele não esqueceu. Deus não esqueceu da África, mas foi o homem que esqueceu do seu próximo, na verdade eles deixaram de dar o valor na vida daquelas pessoas, pois o valor que deveria ser dado a elas é dado em suas casas, ou seja, as terras férteis que são habitações de exploração e centro de varias riquezas que são retiradas de um povo miserável.
        A África é um dos lugares onde se encontra mais riquezas naturais no planeta, como: pedras preciosas de diversas tonalidades e valores, diversos minérios, ouro, madeiras de diversas arvores realmente de imenso valor e varias outras fontes de riqueza, que foram e são retiradas daquele território, deixando somente a miséria, onde o povo é explorado para receber quase que dois dólares por dia. O cristianismo faz um pedido aos lideres, que até mesmo são os causadores das calamidades daquele povo: Coloquem no centro da economia os que realmente precisam! Deixem de lado um pouco de seus status perante os mais fortes e olhem para aquela gente que padece enquanto nós vivemos no conforto. O homem deve ser o centro, ter a devida dignidade e se sentir gente, humano e pessoa participativa no mistério da vida. Não se esqueçam do que Jesus Cristo disse: Bem aventurados os sedentos de justiça, pois eles serão justiçados.
         A África chora pelos olhos da mãe que ve seu filho faminto morrer. A África adoece sendo contaminada pela cede de poder dos homens que encontram a riqueza no ouro e não na vida. O continente sofrido grita de dor como Cristo agonizando na cruz.

Terra de inúmeras culturas! 
“A África não foi esquecida por Deus. Lembrem-se de que Deus se faz presente no homem, e nós temos a responsabilidade de estender a mão a todo aquele que precisa e imitando o salvador.”

         É preciso, e com urgência, tira-los dos becos do sofrimento e coloca-los nas avenidas da felicidade. Aquele povo deve se sentir gente e não animais, pois é assim que são tratados. Tratam a África como uma grande gaiola que abriga somente criaturas e não seres humanos.
         Sinto dizer que nunca mudaremos aquele continente somente com ajudas humanitárias, não que elas não tenham nenhum valor, mas ela supre uma necessidade momentânea. Nós precisamos do algo que seja duradouro. Os países de primeiro mundo devem se unir e colocar a solidariedade a frente dos conflitos, fazer com que os direitos humanos saia dos papeis e sejam colocados em pratica. Deve-se abrir a economia e apontar nossos olhos a quem realmente necessita. Aos olhos dos governos isso parece a loucura, mas é a única solução de diminuir as mazelas daquela gente. Temos que tirar esse povo das trevas e leva-los a luz. Deus quer tirar estes seres humanos do sofrimento, ele quer agir por nós. Cristo conta com pessoas dispostas a enxugar as lagrimas dos mais necessitados.
          Convido os membros da igreja, aqueles que formam o corpo de Cristo, seus lideres e toda a hierarquia, a olharem com piedade para aquele lugar, arregaçarem as mangas e partir para o trabalho no qual vocês foram chamados por Deus. Nós precisamos de padres, bispos, pastores e membros não somente da cristandade mas também de outras religiões, espalhando o amor e deixando de lado as diferenças, pondo em pratica o respeito e a tolerância. Necessitasse de homens comprometidos com a verdade que trabalham para encontrar sorrisos no meio de tanta dor.   
          Em pleno século XXI devemos descartar as diferenças culturais e acima de tudo raciais, pois a cor da pele ainda é encarado como um problema a ser resolvido. A fina camada da pele ainda é vista com maus conceitos que realmente são inaceitáveis. Temos que olhar para aquela gente como pessoas e iguala-las a nós, seres necessitados cheios de sentimentos, que partilham da nossa natureza e da nossa racionalidade, pois aos olhos de Deus somos todos iguais, com os mesmos direitos e merecedores do mesmo respeito.
“Somos todos iguais, o que nos separa são continentes e a imensidão marinha, mas o que nos une é o planeta que abriga todos nós, a criação máxima do grande soberano.”
           Nós, apesar de estarmos separados pelo mar partilhamos com os nossos amigos africanos a felicidade de viver, mas parece que lá é preferível a morte do que a vida, pois a tanto sofrimento que o povo prefere morrer para não sofrer mais.
           Amigos, nós precisamos orar por estas pessoas, precisamos fazer com que elas sintam pela primeira vez o prazer de se viver, conhecer os direitos básicos do ser humano e acima de tudo: Se sentir participante no grande palco da felicidade, um ator no palco da existência cuja Deus é o grande diretor.
É preciso preservar a alegria que
ainda resta! 
Nós cristãos, o povo que tem esperança, não podemos desistir de levar amor para estas pessoas realmente necessitadas. Não podemos mais aceitar as lagrimas derramadas pelas guerras e o ódio, mas devemos espalhar a paz e o sorriso, a igualdade e a dignidade que todo humano tem direito.
              Precisamos mais do que remédios e vacinas, nós precisamos levar a aquela gente o remédio para a alma, que cura as feridas abertas e faz com que as pessoas deem valor em si mesmas, veem o valor da vida não somente presente no outro, mas primeiramente fazer com que o individuo olhe para dentro de si e encontre o tesouro da sua humanidade, pois quem por muito tempo é tratado como animal se enxerga como tal.   

“O único remédio para a dor é o amor!”

           Caríssimos amigos, convido a todos a olhar para aquelas terras de grande beleza e grande tristeza. Oremos a Deus para que aqueles seres que partilham conosco a humanidade posam na oração do “Pai nosso” recitar o fragmento que diz: “O pão nosso de cada dia nos dai hoje” com certeza e veracidade. Que Deus olhe para essas longínquas terras com amor e misericórdia, que ele mostre a este povo a paz, respeito e eficácia para que toda África professe que Deus é o Senhor daquele continente que um dia será feliz.

“Não se esqueçam que uma das inúmeras virtudes do cristão é a esperança, mas nós temos que ser porta para que esta esperança entre a faça com que o choro se torne sorriso e que as trevas se converta em luz”

Lucas de Almeida Moraes. 
Terra de vários povos, terra que ainda tem alegria por incrível que pareça, e esta alegria
deve ser preservada! 

Um comentário:

  1. Natália Lourençato7 de janeiro de 2012 17:51

    Oi Lucas, li seu texto...realmente é uma ótima reflexão a respeito desse povo tão sofrido, que são os africanos.
    Muito bom ler textos que geram essa reflexão a respeito do sofrimento alheio.
    Seria ótimo se mais pessoas tivessem a sensibilidade e o olhar que você demonstra ter pelo próximo e pela vida!!!
    Compaixão, amor e solidariedade é tudo que precisamos ter dentro de nós para assim partilhar com o próximo, até porque sabemos que ninguém vive sozinho, a gente sempre necessita do próximo, independete da situação, não é mesmo...!!!
    Mas parabéns pelo blog, pelas reflexões e textos!!!

    ResponderExcluir