Pages

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Vale a pena voltar!

          Queridos amigos e amigas, sejam bem vindos a mais uma leitura onde podemos partilhar a nossa fé em Jesus Cristo, e dar testemunho de um amor eterno e incorruptível que ele tem por todos nós. Hoje especialmente quero dirigir este texto a todos aqueles que de alguma maneira se afastaram de Deus, deixaram de crer na sua grandiosa eficácia e foram embora da casa do Pai envolvidos por uma infeliz escolha.
Antes gostaria de partilhar com os amigos um fragmento bíblico que se encontra no livro de Lucas, que de maneira especial dará um sentido único para nossa reflexão.


       Um homem tinha dois filhos. O mais novo disse ao pai: Pai, quero a minha parte da herança. Assim, ele repartiu sua propriedade entre eles.
       Não muito tempo depois, o filho mais novo reuniu tudo o que tinha, e foi para uma região distante, e lá desperdiçou os seus bens vivendo irresponsavelmente. Depois de ter gasto tudo, houve fome em toda aquela região, e ele começou a passar necessidade. Por isso foi empregar-se com um dos cidadãos daquela região que o mandou para o seu campo a fim de cuidar de porcos. Ele desejava encher o estomago com a lavagem que os porcos comiam, mas ninguém lhe dava nada.
       Caindo em si, ele disse: Quantos empregados de meu pai tem comida de sobra, e eu aqui, morrendo de fome! Eu me porei a caminho e voltarei para meu pai, e lhe direi: Pai, pequei contra o céu e contra a ti. Não sou mais digno de ser chamado teu filho, trata-me como um dos teus empregados. A seguir levantou-se e foi para seu pai.
         Estando longe, seu pai o viu e, cheio de compaixão, corre até o filho, e o abraça e o beija.
       O filho lhe disse: Pai, pequei contra o céu e contra ti, não sou mais digno de ser teu filho.
        Mas o pai disse aos teus empregados: Depressa! Tragam a melhor roupa e vistam nele. Coloquem um anel em seu dedo e calçados em seus pés. Tragam um novinho gordo e matem-no. Vamos fazer uma festa e alegrar-nos. Pois este meu filho estava morto e voltou a vida, estava perdido e foi achado.
Lucas 15, 11-24
             
             Amigos, este fragmento bíblico que vos apresentei é conhecido como a parábola fo filho pródigo, que foi apresentada ao povo pelo próprio Jesus.
             Neste texto bíblico nós deparamos com alguém que teve a escolha de ir para novas aventuras, caminhos distintos e se embrenhar pelos  virgens horizontes. Alguém este que não foi impedido pelo pai de explorar o mundo que o chamava, muito pelo contrario, recebeu a autorização para seguir sua vontade.    
Amigos, assim como o filho da passagem muitos agem de maneira idêntica. Deixam aquele Pai que o tanto os ama para seguir uma vida “aventureira” e promiscua para saciar a sua vontade carnal. Muitos deixam de ter prazer em seguir a Deus, e juntaram as suas coisas e foram buscar prazeres em um mundo que seduz os olhos mas mata a alma. O mundo que oferece a bebida, as drogas e as bobagens destrutivas que desumanizam o homem, e o transforma em um escravo das coisas ilícitas e dependente do pecado.
             Deus nunca ira dizer não para a vontade do homem, pois ele com o seu infinito amor deu a sua criação o livre arbítrio, onde cada um tem o direito e a oportunidade de buscar a alegria onde bem entender. Pena que muitos vão procurar a alegria em lugares errados. Ao mesmo tempo que Deus da a sua criação a oportunidade de seguir por caminhos distintos, ele nunca deixou de dizer que ele é:

“O caminho, a verdade e a vida”

            Deus é aquele pastor muito bem aplicado, que leva o seu serviço a sério. Ele conduz varias ovelhas, cuida para que nenhuma se perca ou se machuque, mas não obriga nenhuma delas a voltar para o rebanho. Cristo ao longo de sua trajetória na Terra levou isto muito a sério. Respeitou a vontade do homem de não aceita-lo como filho de qum dizia que era, mas também nunca deixou de declarar quem ele realmente era e continua sendo. Deu a nós a liberdade de aceita-lo ou não, de telo como salvador ou de uma simples figura histórica que foi glorificada pelo tempo.

“Você é livre para aceitar se quer Deus como senhor de sua vida, ou viver a liberdade que o mundo te oferece.”
            
            A maioria das pessoas que deixaram os caminhos da salvação e partiram para uma vida de prazeres mundanos se depararam com o erro que tinham cometido. Quantos se perderam por um momento quando cheirou aquela carreira de pó, fumou aquele cigarro, experimentou aquela bebida. Por um momento de rebeldia e de desentendimentos resolveram arrumar as malas e ir embora da casa do Pai. Depois de aproveitarem a bebida, as drogas, as brigas e todas as tentações maléficas, se depararam com a maior besteira que já tinham cometido, pois trocaram algo que é eterno por miseras garrafas de cerveja, por maconha, cocaína, crack, as famosas balinhas, pelo sexo, pela prostituição, pela pornografia, pelo adultério e tudo o que destrói e é passageiro.
            Depois de ter caminhado pelas estradas do mundão, aquele filho que deixou a sua casa se depara com sua miséria. O filho pródigo no texto de Lucas perdeu tudo e chegou a desejar até a comida dos porcos, ele realmente se deparou com sua miséria de seu grandioso erro. Ele reconheceu que deixar a casa de seu pai foi a pior besteira que ele já tinha cometido em sua vida. Ele tinha tudo, mas foi preciso que ele perdesse tudo o que tinha para perceber o seu erro e começar a dar valor em quem o amava.
Veja as suas misérias. Deus
é maior que elas! 
            Muitas pessoas precisam perder tudo para se deparar que elas tinham realmente um Deus que as oferecia o seu amor de todo coração, que veio a Terra como homem e foi pregado a sangue frio em uma cruz por nós, e deu todo o seu sangue para que eu e você estivéssemos aqui. Mas elas realmente não deram valor no que tinham, juntaram suas coisas e foram embora porque simplesmente quiseram. Não quiseram a paz que Deus as dava e foram procurar a paz em coisas ilícitas, foram buscar a paz no pecado, que satisfaz a vontade da carne temporariamente, nos levando a um estado de êxtase enquanto a nossa alma esta sendo esmagada dentro de nós.

“Muitos escolhem viver de momentos e não de eternidade!”
         
          Como sabemos a misericórdia de Deus pode derrubar montanhas. Ele troca reinos por uma vida. Ele prefere você do que os domínios da Terra além dos horizontes visíveis aos olhos. Deus olha para cada vida perdida que por vontade próprio o recusou e diz: Volte para a casa!
          Deus não lhe apontara o dedo na cara e te condenara como os homens fazem.  Ele não lhe apontara os erros e transgressões, mas o acolhera em um abraço fraterno, aquele abraço que consegue transformar os desertos da nossa vida em campos floridos, nos jardins mais belos onde as borboletas fazem morada. Como o pai daquele filho que voltou de muito longe, derrotado por sua escolha, Deus faz o mesmo. Quando um filho volta para casa Deus faz festa, lhe oferece o melhor vinho da vida, lhe veste com as vestes da salvação e coloca um anel de honra em seu dedo.  
         Assim como o filho pródigo muitos estavam mortos, mas voltaram a vida. Muitos estavam cegos mais voltaram a enxergar. Muitos estavam surdos, mas voltaram a ouvir. Inúmeros estavam perdidos, mas depois de sofrerem encontraram o caminho de volta para a casa.
         Meu querido amigo, minha querida amiga. Deus hoje te faz o feliz convite de voltar para casa. Ele te estende a mão e vai te buscar la no fundo do posso onde você estava perdido na escuridão. Deus te faz ver a luz novamente, te faz ver tudo aquilo que você deixou para traz para desfrutar de prazeres momentâneos do que a felicidade eterna.
         Meus caros, Deus lhes diz com toda a certeza que ultrapassa as barreiras do infinito:

“Vale a pena voltar!”

        Quando você terminar de ler este texto eu peço que você ore e escute a musica deste vídeo que tem tudo a ver com o tema. Peça a Deus para te receber novamente, peça a ele que a sua misericórdia que a sua infinita misericórdia não envolva somente você, mas todos aqueles que ainda estão mortos e precisam voltar a vida. Peça pela sua família que anda longe de Deus ultimamente, peça por aqueles amigos que fazem do pouquinho de bebida o seu céu aqui na terra. Peça pelos seus inimigos para que eles se tornem seus verdadeiros amigos. Peça ao Pai o perdão, pois vale a pena voltar!
       
        Você que esta longe da casa do Pai, te convido a fazer esta oração;


       Querido Deus, aqui esta um filho que decidiu ir embora da casa de seu Pai, e se deparou com o erro que cometeu. Diante de ti peço que me receba novamente para que eu poça desfrutar da eternidade juntamente de ti.
        Reconheço as minhas falhas e rebeldias. Reconheço as minhas faltas e desobediência, e de todo meu coração quero retornar ao lugar de onde eu nunca devia ter saído. Peço perdão pelas vezes que não reconheci o sacrifício de Cristo na cruz para que eu tivesse vida, e vida eterna juntamente a ti.
        Sei que tua misericórdia ultrapassa os limites da eternidade, e por isso peço que me acolha novamente para que eu poça testemunhar o seu amor a todos os homens que ainda se encontram na perdição.
Muito obrigado Pai, pois me aceitastes novamente para que eu viva a verdadeira paz, pois tu es Senhor de toda a imensidão do universo, seu domínio não terá fim. Tu reinas para sempre sobre a gloria, o poder agora e para sempre. Amém.

Lucas de Almeida Moraes.

Deus te espera! 

                                                            Realmente, vale a pena voltar! 

2 comentários:

  1. Que lindo, Lucas. Lindo mesmo. "Toda vez que o mar vermelho tiver que passar, chame logo Esse homem para te ajudar" - esse é um trecho da música que estava tocando aqui em casa enquanto lia o seu blog. As duas obras de Deus - seu texto e o louvor - tocaram de um jeito lindo meu coração *-* . Parabéns amr :D

    ResponderExcluir
  2. Lindo Lucão *-*
    Parabéns, ta escrevendo muito bem!

    ResponderExcluir