Pages

terça-feira, 27 de março de 2012

Brincando de ser igreja

           Queridos amigos, dirijo minhas sinceras felicitações a todos vocês que se unem novamente para serem alunos da escola que ensina ao homem os mistérios da vida e a existência de um amor maior. O texto que hoje apresentarei a vocês é sobre um assunto seríssimo e que a tempos sentia o desejo de lhes escrever. Já deixo bem claro que neste texto não agradarei a todos, mas é preciso que oque eu estou prestes a dizer seja dito, e alias, só lembrando, se o próprio Cristo não agradou a todos, imagine eu, mero ser humano e um simples grão no meio da praia!
            Hoje quero apresentar a vocês uma realidade que esta sujando o legitimo cristianismo e as coisas sagradas contidas nele. Sujando a fé com as coisas do mundão, pensamentos mesquinhos e absurdos de certas pessoas que se dizem cristãs e conhecedoras da verdadeira teologia. A igreja que foi criada para ser caminho rumo ao céu esta sendo usada para o engrandecimento de terceiros, em beneficio de um aglomerado de lideres que em vez de viver a palavra de Deus estão deixando os seus bolsos fartos em nome da fé e de um povo fervoroso.

“A igreja não nasceu para ser um banco, ela foi criada para que os homens visem nela Jesus Cristo e não contas bilionárias no exterior.”
Pastor Mauro Catalam

           Realmente, hoje encontramos pessoas que brincam com coisas realmente e estrondosamente sagradas. A cada minuto, neste país chamado Brasil, neste continente que se denomina americano, e neste imenso globo chamado Terra uma nova igreja é aberta, muitas delas a sombra daquele ditado muito conhecido: “Pequenas igrejas e grandes negócios.” Muitas delas são em prol de benefícios de pessoas de má índole, mau caráter e que não estão nenhum pouco preocupados com a salvação das almas, mas sim com o engrandecimento de seus patrimônios particulares.
              Meus amigos, a coisa não é brincadeira! Peço que liguem os seus aparelhos de televisão e coloquem no canal da emissora Record de televisão. Toda aquela programação e a própria emissora é boa parte bancada por fieis que com fé depositaram seu dinheiro como um sacrifício próprio para ajudar quem necessita. O problema aqui questionado não é o dinheiro que o povo doa para esta tal igreja, mas sim para o que ele é usado, como ele é aplicado e a quem ele beneficia. A Record de televisão pertence a um grupo que se denomina igreja, igreja esta que se prontificou a anunciar o evangelho, mas infelizmente não cumpre o objetivo que um dia fervorosamente disse que iria cumprir. Nesta rede de televisão que pertence a esta igreja, 99% de sua programação apresenta programas verdadeiramente imorais e ante cristão, ou seja, é o santo que patrocina o profano, é o bem que banca o podre, em outras palavras é a tal igreja contribuindo para a destruição do verdadeiro e legitimo cristianismo.
                 Eu não estou aqui para criticar os fieis desta igreja, respeito eles, pois também são o povo amado de Deus. Eu sei que muitas pessoas que estão lá dentro são cristãs, são homens e mulheres honradas, salvas e que levam a sua fé a sério. O problema é o jeito em que a igreja, que deveria ser exemplo, se comporta doutrinalmente e abertamente sem nenhuma vergonha.
                 Em vez de propagar o evangelho nos meios de comunicação que pertencem a eles, esta igreja prefere exibir e mostrar programas como a Fazenda, O melhor do Brasil, Programa do Gugu, Legendários, Rebeldes, Tudo é possível, inúmeros programas de fofocas e comentários da vida alheia, novelas e outros programas que uma igreja não deveria transmitir. Na madrugada, quando a maioria da população brasileira se encontra em descanso e dormindo eles tratam de passar alguma coisinha falando do evangelho, e muitas vezes travando brigas com outras igrejas e até difamando pessoas em shows baratos de exorcismo como destes links abaixo.


                 Penso que eles estão preocupados com o ibope, com a popularidade da TV e sua audiência, mas infelizes são eles, porque o reino de Deus (no qual eles carregam o nome se é que vocês me entendem) não é construído por ibope, mas sim de qualidade.
                Caríssimos, vamos ser bem francos, o evangelho hoje em dia da ibope? O nome de Jesus Cristo hoje da ibope? Programação cristã hoje da ibope? A resposta a todas estas perguntas é não! Ai alguns dizem: Mas Lucas, uma TV não sobrevive só de evangelho, nós temos que apresentar algumas coisas que anime e agite a galera! Eu pergunto: Des de quando uma igreja deve se importar em animar a galera? Nós estamos aqui para animar a galera, animar o povo ou engrandecer o nome de Deus? Realmente o evangelho não da tanto ibope, mas e dai! Particularmente eu prefiro mil pessoas ligadas em uma programação cristã, pessoas de fé e excelência do que bilhões de pessoas que se dizem cristãs que vivem vendo pornografia, adultério e promiscuidade. Uma TV  que é patrocinada com dinheiro de crentes para transmitir um lixo moral! É isso que a Igreja que diz ser do reino de Deus esta fazendo, e isso me entristece, pois o nome de Cristo que eles pregam dentro de enormes templos não esta sendo transmitido por esta tão poderosa ferramenta que são os meios de comunicação no qual eles mesmos são donos.
               Eu, no dia 6 de janeiro de 2011, me prontifiquei a dirigir um blog não somente dedicado a uma religião, mas a todo cristianismo, porque eu sinto que Cristo de alguma forma esta em todas elas, eu acredito na salvação quando a meta é Cristo. Não estou dizendo que Jesus Cristo não esteja nesta igreja que estou me dirigindo, mas ela esta tirando toda a sacralidade de uma verdadeira igreja e esta colocando interesses humanos no centro, centro este que deveria pertencer a Deus e não aos desejos meramente humanos.
              Uma coisa eu digo de todo o meu coração: Não brinquem de ser igreja, não lucrem bens materiais usando o nome de Deus e nem faça de coisas sagradas coisas mundanas, pois Cristo veio fazer a diferença, e a igreja como obra que ele mesmo criou deve seguir os passos dele.
              Depois de tudo o que disse me dirijo agora a Macedo e seus capangas. Sei que não sou ninguém para julga-los, mas eu como integrante da igreja de Jesus Cristo não posso deixar passar tão tamanho desrespeito para com a sacralidade contida em uma igreja. Peço a vocês que comecem a se “consertar” ou então derrubem suas placas baratas de igreja e fechem a sua instituição, pois igreja não nasceu para ser circo com palhaços engravatados fazendo seus showzinhos de expulsar demônios, muito menos de fazer de solo sagrado um picadeiro para engrandecer o que chamam de teologia da prosperidade. Comessem a se policiar mais em suas palavras, se privem de alguns atos e reformulem suas doutrinas, em outras palavras: Façam uma faxina urgente!
              A igreja nasceu das sagradas palavras de Cristo, e ele quis deixar aqui o caminho que nos desligaria do mundo para que chegássemos até as coisas do alto, mas infelizmente algumas igrejas estão fazendo o contrario. Estão usando a igreja para que alcancemos as coisas do mundo, pois prometem riquezas, multiplicação de bens, engrandecimento pessoal e não enriquecem o espirito das pessoas, não alimentam a alma com as  coisas realmente que são de Deus. Do que adianta eu ter meu bolso farto de bens e minha alma faminta do Espirito Santo?
              Espero que este texto abra os olhos de algumas pessoas, que a verdade seja dita e que as igrejas cristãs tenham uma só meta; Jesus Cristo, um caminho sobre a ética, moral e o bom senso. Peço desculpas palas palavras grossas, mas as vezes temos que usar palavras um pouco mãos fortes para que possamos perceber a gravidade e a seriedade da coisa. Portanto, sejamos inteligentes o bastante para identificar o que é sério e o que é uma brincadeira, o que é iluminado pela decência e o que esta sobre as trevas da baixaria. Por isso cuidado, pois a própria sagrada escritura nos diz que muitos farão da palavra de Deus uma causa de ganho próprio e não da salvação das almas ao nosso redor.

“Guardai-vos dos falsos profetas, que vem a vós disfarçados de ovelhas, mas interiormente são lobos devoradores.”
Mateus 7, 15

  Lucas de Almeida Moraes
Tomem cuidado quando dizem o nome de Deus. Não usem seu nome
para engrandecer seus bens, pois Deus não é um ganha pão, mas ele é a salvação
de todos! 
Facebook: Lucas De Almeida Moraes
imail: lam-hp@hotmail.com
skype: lucass294

quinta-feira, 22 de março de 2012

Julgar, a triste mania do ser humano!

              Queridos amigos, é um prazer tê-los aqui novamente para engrandecer e fortalecer as nossas mentes e eleva-la até Deus. Avaliando o mundo no qual esta a nossa volta hoje vamos expor uma reflexão que infelizmente muitos irão se identificar, talvez nem muitos mas sim todos nós iremos ler estas linhas e conseguir enxergar a nossa pequenez humana, nossas falhas, tropeços e a nossa própria humanidade. Dou o titulo a este texto: “Julgar, a triste mania do ser humano”, pois observo em todas as pessoas, até mesmo em mim mesmo, o triste ato de olhar para o outro e invés de ajuda-lo eu erradamente vou julga-lo sem se quer olharmos para nós mesmos e nos deparar com os nossos erros que muitas vezes são estrondosamente maiores do que os erros de quem pecaminosamente julgamos.
             Para dar andamento a nossa reflexão, gostaria de compartilhar com vocês um fragmento da bíblia que nos ajudara a entender o que Deus tem a nos dizer:

“Pouco me importa ser julgado por vocês ou por qualquer tribunal humano, de fato, nem eu julgo a mim mesmo. Embora em nada minha consciência me acuse, nem por isso justifico a mim mesmo, o senhor é quem me julga. Portanto, não julguem nada antes da hora devida, espere até que o senhor venha. Ele trará a luz o que esta oculto nas trevas e manifestara as intenções dos corações. Nessa ocasião, cada um recebe de Deus a sua aprovação.”
1 Coríntios 4, 3-5

            Caríssimos, neste fragmento bíblico, Paulo, o apostolo das nações, nos expõe o seu exemplo de cristão integro e totalmente entregue a sua fé, que para ele não era somente um crer, mas sim um estilo de vida cujo centro era basicamente Cristo. Como um bom homem de Deus, Paulo entrega a justiça e a soberania totalmente ao devido dono. Sinceramente, aconselho a fazer como Paulo, porque se manteve em silencio quando o julgaram, sofreu perseguições e foi caluniado por multidões que tinham raiva e ódio da palavra que ele professava a mando de Deus que se revelou pelo espirito santo. Mas contudo, valeu a pena dedicar a sua vida ao enriquecimento da sabedoria do homem diante do esplendor de Deus, pois sofreu, mas encontrou a gloria eterna da felicidade em seus sofrimentos. Em cada cicatriz das pedradas e pontapés que tinha marcadas em seu corpo Paulo não fazia de meras mas lembranças, mas fazia delas um orgulho próprio que o levaria para a gloria. Contudo, Paulo foi feliz por seus sofrimentos, pois sabia que por eles de alguma maneira encontraria a felicidade de estar com Deus e cumprir o seu serviço de proclamar a boa nova da ressurreição! Muitos julgaram Paulo, mas ele não tinha isto como um empecilho, mas sim como uma espécie de armadura, pois cada vez que ele era atacado ele se fortalecia.
                Não julgue para ser julgado, não condene para não ser condenado e não calunie para não ser caluniado. Tenham certeza que o bem conhecido ditado popular “tudo que vai volta” é verdadeiro e se torna cada dia mais frequente em nosso meio. Portanto procure semear no coração do próximo o amor e a palavra amiga e não a discórdia e a confusão. Não seja um peso na vida de seus amigos, mas seja para ele um porto seguro onde eles possam encontrar momentos de paz. Contudo alerto aos cristãos que quando forem julgados injustamente, sigam com integra e respeito a quem te jugou. Nós que temos a nossa fé como o tesouro que Cristo nos deixou sabemos e entendemos que o silencio muitas vezes não é sinal de fracasso e nem de derrota, mas sim de oração e amor para com aquele que te atira pedras, por isso, se preciso for, quando te julgarem faça do teu silencio o seu ponto de equilíbrio e ore por um coração mais paciente.

“Não jugues para que não seja julgado. Porque com juízo com que jugueis sereis julgados, e com a medida com que medis vos medirão a vós.”
Mateus 7, 1-2

            Jesus em toda a sua vida terrestre nunca apontou o dedo em direção a ninguém e a julgou. Jesus não julgava, ala na verdade de maneira espetacular e fantástica fazia revoluções de pensamentos rapidamente, pois mesmo sendo simples ele era dono de uma sabedoria intrigante e as vezes assustadora na maneira mais positiva. Um exemplo é a passagem bíblica que nos apresenta a mulher adultera que iria ser apedrejada pelo seu pecado. Levaram-na até Cristo é disseram o pecado grave que a moça tinha cometido. Jesus em um gesto estranho para todos que acompanhavam aquele momento agachou e olhou nos olhos daquela bela jovem. Cristo, ao contrario de muitos ali estava com o coração repleto de compaixão, mas os homens que assistiam o ato incompreendido de Jesus estavam tomados pelo ódio e pela sede de sangue, mas no mesmo instante a boca de Jesus foi como uma porta que se abril para a salvação de todos que estavam ali, palavras que revolucionaria os pensamentos não somente daqueles homens, mas também de toda humanidade: Quem nunca pecou que atire a primeira pedra!  
              As vezes o nosso orgulho, o luxo e a avareza estão tão fortemente presentes em nossa vida que nós nos tornamos cegos e não temos a capacidade de ver a nós mesmos, conseguimos enxergar os tropeços dos outros, mas enquanto as outras pessoas tropeçam em pequenas pedras e reconhecem que erraram o cego já esta perdido, pois na escuridão em que ele se encontra ele se embrenha nos obstáculos da vida e mesmo assim continua mergulhado e repleto de seu intenso e glorioso orgulho.   
                Jesus não julgou ninguém porque não era cego, muito pelo contrario, ele enxergava muito bem, ele não era orgulhoso, pelo contrario, ele era humilde, e humilde o bastante para compreender que somos todos iguais e pecadores por natureza, natureza esta que com força de vontade e seriedade pode ser driblada para que possamos chagar até a santidade sendo imitadores de Cristo.
               O mestre de Nazaré não atirou pedras em quem estava errado, mas em um gesto fraterno, solidário e atencioso estendia a mão a todo aquele que caia para que voltasse a ficar de pé. Ele caminhava pelos caminhos corretos da vida e quando via alguém andando na contra mão ele convidava este individuo a caminhar com ele, a caminhar por caminhos certos, caminhar com Cristo. Nestes atos Jesus enchia o coração das pessoas de esperança, pois mostrava a elas que o amor é maior que nossas falhas e iniquidades. Ele compreendeu que julgar não ajuda as pessoas a levantarem nos seus momentos de fracasso, na verdade julgar é ferir mais ainda aquela ser que já esta machucado, deixando-a mais desanimada, angustiada e propicia a novos tropeços. Jesus estendeu a mão e mostrou a nós que quando uma pessoa cai não devemos julga-la, mas sim ama-la para que se sinta querida, para que compreenda que ela é uma peça importante e que faria falta no meio de nós e que fique atenta para não falhar mais.   

“Sem duvida alguma deveríamos olhar por alguns instantes para nós próprios antes de se quer ousarmos de pensar em julgar os outros.”

               Saibam que existe somente um julgador que age com justiça e aptidão. Deus apesar de ser o supremo juiz, não quer que tenhamos uma imagem negativa de sua pessoa, mas quer que vejamos nele um apoio no qual eu e você quando tropeçarmos possamos nos apoiar. Tenham certeza que Deus não julga com rédeas e chicotes, mas ele julga com amor e misericórdia. Contudo Deus julga cada homem diante da sua própria realidade, ou seja, não é Deus exatamente que condena as pessoas, mas sim as próprias pessoas que se condenam, pois quem planta o céu colhera a salvação, mas quem planta infernos colhera a condenação.

“Quem somente julga é egoísta, pois é um ser repleto de amor próprio e não é capaz de repartir este amor no simples gesto de ajudar.”

                Amigos, particularmente sei o quanto é difícil não cometer os inúmeros atos ilícitos que por nossa fraqueza realizamos. Contudo, já nos recorda as sagradas escrituras que tudo é permitido, tudo é liberado, somos livres, mas nem tudo nos convém, nem tudo nos edifica nos planos de Deus. De fato somos completamente livres para escolher qual o caminho a trilhar, o caminho do bem ou o do mau, mas somente um pode nos edificar e nos presentear a salvação, mas já digo que este caminho não é fácil. O caminho para o céu é cansativo, pedregoso, esburacado e cheio de empecilhos. Já o caminho do mau é uma pista plana, perfeita e cômoda para quem caminha nela. É por isso que muitas pessoas são mas, pois se acomodaram na maldade e não querem encarar os obstáculos de se alcançar a bondade. Eu pergunto: Sabe o que devemos fazer para sermos condenados? A resposta é nada! Mas sabe o que devemos fazer para ganhar a salvação? Sermos imitadores de Cristo, e todos nós sabemos que Cristo sofreu por diversas razoes, uma delas foi por ser uma boa pessoa, mas continuou firme até o fim, pois reconheceu que ele era o exemplo e a causa de nossa fé. Ele continuou firme para que nós vendo o exemplo dele perceber que vale a pena sermos como ele foi, aquele que não julga, mas que no gesto de um verdadeiro irmão estenda a mão e oferece compaixão pelas vidas, aquele que invés de dirigir palavras rudes e grossas conseguia tocar o coração dos pecadores de maneira pacifica e gentil. Jesus foi aquele que não julgou os homens pelas suas transgressões, na verdade ele em silencio entregou a sua vida por todos nós e foi julgado em nosso lugar.
             Portanto meus caros, não julgue o seu próximo, se coloque no lugar dele para que você possa saber a dor que é ser pisado pela segunda vez, pois o pecado que cometemos é primeiramente prazeroso, mas logo após do ato ele nos pisa e nos deixa no chão. Quem julga pisa pela segunda vez no seu irmão! Portanto sejamos imitadores de Cristo, pois ele não julgava os homens, mas os tirava da condenação para viver a paz que queria abitar em nossos corações mas os nossos pecados não deixava.


"Ao invés de julgar levante aquele que esta no chão, se coloque no lugar do teu próximo, sinta as dores dele para que não julgueis. Ao invés de julgar tenha paciência e  peça a Deus um coração mais misericordioso!"

Lucas de Almeida Moraes 

 

quinta-feira, 15 de março de 2012

Um Deus que escolhe os fracos


                Queridos amigos, agradeço a Deus pela vida de cada um de vocês e pela oportunidade de estarmos nos reunindo novamente para aprender mais sobre este Deus que para nós é muito mais do que uma hipótese, mas sim uma certeza concreta sobre os alicerces de nossa fé. Hoje queremos refletir sobre um Deus que não escolhe os fortes, mas sim os fracos. É este Deus que por amor aos fracos e fracassados escolheu vir ao mundo por Jesus Cristo e abitou no meio deles. Aqueles homens iletrados, sem cultura e nenhuma condução a conhecimentos superiores, até mesmo chegavam a ser arrogantes e ignorantes, estavam abandonados em um certo local pacato e isolado, vivendo suas vidinhas miseráveis e acomodados com suas realidades escondidos sobre as cortinas do anonimato. Depois que conheceram a Cristo e tiveram uma experiência nova, reconheceram que em Jesus poderiam ser grandes, e na humildade e na coragem de pragar o amor de Deus se tornaram o que são, grandes homens e mulheres que abitam na gloria de Deus. De fato, Deus escolheu os fracos para confundir os fortes, e mostrar a eles que quando estamos ao lado de Deus somos todos fracos e pequeninos, partilhando a igualdade de sermos filhos e filhas, criaturas de um mesmo criador cuja nele podemos ser grandes no momento em que reconhecermos que somos pequenos.  

“Portanto, eu me gloriarei ainda mais alegremente em minhas fraquezas, para que o poder de Cristo repouse em mim. Por isso, por amor de Cristo regozijo-me nas fraquezas, nos insultos, nas necessidades, nas perseguições, nas angustias. Pois, quando sou fraco é que sou forte.”
2 Coríntios 12, 9-10

              Amigos, ao longo das incontáveis paginas das sagradas escrituras podemos testemunhas inúmeras pessoas que eram verdadeiramente e tristemente fracassadas, dominadas radicalmente pelo pecado e eram instrumentos da discórdia, do ódio e da matança. Essas pessoas aparentemente as nossas vistas já não tinham condições de serem instrumentos do plano de salvação. Apesar de nossos olhos serem testemunhas da rebeldia daquelas pessoas, Deus conhecia o coração de cada uma delas. Para a nossa surpresa Deus visitou o cerne desses homens e mulheres, e os tornaram verdadeiros exemplos, onde Deus falava pela boca daqueles que um dia o difamaram e agora o glorifica. De fato e sem duvida alguma, Deus entrou no mais profundo intimo dessas pessoas e foi como um gari, aquele que recolhe todo lixo e deixa somente aquilo que presta.
               Quando o Messias veio ao mundo ele não ocupou os palcos dos pop stars e nem era famoso por ser quem era, mas veio naquela região inóspita, ocupada pela pobreza e pela miséria. Jesus veio no anonimato para trabalhar e mudar a vida dos anônimos. Naquele lugar onde ele estava era repleto destes anônimos que só aguardavam e precisavam serem tocados de maneira espacial para reconhecer em Cristo, aquele homem que partilhava de suas realidades sociais o caminho, a verdade e a vida.

“Ser forte no reino de Deus é ter a coragem de reconhecer que somos fracos.”

                Quando Jesus começou a sua obra de evangelização e de anunciar a boa nova, ele não foi a procura dos doutores da lei intelectuais, nem dos governadores poderosos e muito menos dos imperadores, que naquele tempo se portavam e eram reconhecidos como verdadeiras divindades. O mestre de Nazaré não procurava aqueles que eram reconhecidos pelo que tinham, mas sim pelo que eram. Ele encontrou na simplicidade de humildes homens um solo fértil onde a sua semente de esperança poderia ser plantada e pudesse vir a germinar. Cristo não foi buscar os fortes, mas reconheceu nos fracos a grandeza de ser pequeno. Ele com seu olhar perceptivo e atencioso compreendeu que o reino no qual estava disposto a construir não se faria da noite para o dia e muito menos de uma hora para outra, mas escolheu realizar o que estava prontificado a fazer passo a passo, tijolo por tijolo, vida por vida e fracos para se tornarem grandes.  
                 Como já disse, a bíblia nos apresenta um alto numero de pessoas fracas e dominadas pelo fracasso. Uma dessas pessoas era Paulo, que antes de dedicar completamente a sua vida a propagação do evangelho era um caçador daqueles que mais tarde fazia parte. Paulo caçava cristãos, todos aqueles que seguiam a fé do ressuscitado. Sem duvida alguma, Paulo foi um dos resgatados da fraqueza e da perdição para ser grande, para ser boca de Cristo em um mundo cada vez mais difícil e complicado de se viver. Para o mundo Paulo fez a escolha errada, pois a maior alegria daquele homem que antes se chamava Saulo, era ter uma medalha em seu peito presenteada pelo imperador por ter matado dezenas de cristãos. Agora, convertido, ele não encontrava mais a felicidade nas meras e passageiras medalhas, mas sim na coroa da salvação que foi posta sobre sua cabeça. Seu passado foi apagado com o sangue de Cristo, e agora ele encontrava a alegria em glorificar a Deus, de percorrer um caminho difícil e árduo, mas que de fato vale a pena prosseguir.
Deus escolhe os fracos para
que os grandes encontrem a sua
pequenez! 

“Considere que os nossos sofrimentos atuais não podem ser comparados com a gloria que em nós será revelada.”
Romanos 8, 18

           No momento em que Cristo avistou aqueles simples pescadores, humildes e iletrados, viu neles diamantes que somente precisavam serem lapidados, conchas que guardavam em seu interior a mais bela perola prestes a ser descoberta e admirada por muitos. Jesus mostrou a eles que a vida esta além da comprida linha do horizonte que separa o mar do céu, e que essas vidas precisavam ter o conhecimento de um Deus que não era um carrasco, mas um amigo, aquele que por amar tanto a humanidade quer todas as pessoas junto a ele.
           A mais bela iniciativa de Jesus foi no momento em que ele se prontificou a ensinar a aqueles homens a não lançar mais suas redes ao mar para apanhar peixes, mas para lançar suas redes rumo aos homens, para que sejam retirados do fundo do mar do fracasso, da angustia, do ódio e do sofrimento, para que fossem elevados a superfície e serem solenes passageiros do barco que somente tem um objetivo: o céu! Este barco passara por tempestades, tormentas e muitas barreiras, muitos vão preferir voltar para o fundo do mar e viver o que viviam, mas quem ser forte continuara firme até o objetivo que não será o final, mas sim o começo!   
           Todos estes homens que eram dominados pela fraqueza e desprezados pelo mundo encontraram em Deus a sua fortaleza e resistência. Não tiveram medo de assumir as suas novas identidades. Eles se tornaram corajosos e cheios do Espirito Santo, continuaram valentes até a morte, até o momento em que as lanças e as espadas daqueles que perseguiam o nome de Cristo tiraram suas vidas, mas não foram capazes de aniquilar o que ele nos passaram, pois mataram os seus corpos, mas não suas palavras! O sangue deles foram como sementes que daria novos frutos para a continuação da meta. Graças a estes homens nós temos o conhecimento de um Deus de amor e que por este amor a humanidade se fez homem, abitou no meio de seu povo e partilhou de nossa realidade.

“Nós, que somos fortes, devemos suportar as fraquezas dos fracos, e não agradar a nós mesmos. Cada um de nós deve agradar ao seu próximo para o bem dele, a fim de edifica-lo.”
Romanos 15, 1-2

“Sob a direção de um forte general, não haverá jamais soldados fracos.”
Sócrates

           De fato, Jesus Cristo tirou e tira os fracos do anonimato do cosmo e os coloca nos pedestais da existência para que se sintam participantes árduos no belo trabalho de evangelização! Sob a direção de um Deus forte e misericordioso, não haverá jamais filhos e filhas perdidos na escuridão, mas andaram na luz e não terão medo de busca-la ardentemente como os beija-flores procuram o mais puro néctar da mais bela flor que espera ansiosa ser beijada.
            Amigos, se a fraqueza mora em seu ser te convido a levantar-se e entrar em ação, pois Deus é o senhor dos fracos, e de sua fraqueza ele quer te fortalecer. Mas contudo temos que entender que Deus abre as portas e nos da a oportunidade, já o resto é conosco! O Pai da oportunidades ao seu filho, contudo basta que o filho diga sim e lute pelo seu objetivo. Se o teu objetivo é alcançar a Deus nunca pare de lutar, pois garanto que aparecera vários obstáculos, mas também garanto que no final você vera o tanto que valeu a pena.   
             Se você é fraco na fé você é convidado a buscar mais este Deus. Não tenha medo, não tenha preguiça e tenha força de vontade para conhecer o criador que ama até os que o despreza. Busque a Deus, pois é mais do que uma oportunidade de conhecimento, é uma oportunidade de salvação!

“O forte não é aquele que vira as costas para o s fracassados e vive sua vidinha. Na verdade os fortes são aqueles que estendem as mãos para os fracos e os convida a partilhar de sua realidade.”

“Deus escolhe os fracos porque quer mostrar aos que pensam que são fortes que a força não esta no poder, mas sim na humildade. Jesus escolheu vir ao mundo fraco, anônimo e sobre o auge do desconhecido, mas mesmo assim mostrou a nós que o dinheiro e os bens materiais podem comprar favores, mas o amor e a compaixão podem conquistar corações!”

Lucas de Almeida Moraes

                                                                       Olha pra mim!

segunda-feira, 12 de março de 2012

O rico veio como pobre!

Deus viu a necessidade do homem, nos deu a mão
e participou da nossa humanidade. 

         Queridos amigos e amigas, sejam todos muitíssimos bem vindos para partilhar conosco esta reflexão que foi feita com muito carinho, para que todos nós como igreja, possamos nos reunir diante do Pai para desfrutar da sua magnânima e perfeita sabedoria. Hoje gostaríamos de partilhar  uma reflexão inspirada no próprio salvador, Jesus Cristo, aquele que veio pobre a este mundo, partilhou da nossa humanidade e era   filho nada mais dana menos do que o autor da existência.
         De fato o rico veio como pobre. Deus, senhor soberano de todas as riquezas e sumo criador do universo veio a nós na condição de pobre e de nossos sofrimentos experimentou por sua natureza carnal. Jesus, filho do Deus vivo e o próprio Deus encarnado, de fato é o rosto do criador, e por ele nós todos fomos libertos da condenação. Foi pelo próprio homem de Nazaré, aquele que não veio a nós com melhores calçados, mas sim com pés descalços que nós fomos libertos e convidados a participar do seu glorioso reino.

“Cristo era o remédio em forma de gente, o amor com um rosto e humildade em pessoa!”

        É interessante, curioso e ao mesmo tempo intrigante nos perguntar o porquê de Cristo vir ao mundo na condição de pobre. O porquê de Deus não ter se encarnado como legitimo rei. Ora, se Deus viesse a nós rodeado de belas roupas e dono de aglomerados de riquezas não era causa de tamanho espanto. Mas o intrigante se fez, pois Deus veio a nós em extrema e monstruosa humildade, fazendo do seu primeiro trono um punhado de palha em uma simples e modesta estrebaria.
          O menino Jesus, por ser filho de quem era, poderia brincar com os melhores brinquedos, mas quando ainda criança recebeu um punhado de madeira para se divertir, enquanto o seu pai adotivo, José, trabalhava de carpinteiro para zelar e sustentar sua família. Ele poderia ter as melhores roupas, mas no máximo possuía cinco ou seis túnicas. Ele poderia comer do bom e do melhor, mas para a surpresa de muitos escolheu viver no meio de um povo humilde, sofrido e judiado que se unia em torno da mesa para partilhar um pedaço de pão e um gole de vinho. E por isso que aquela gente era feliz, é por isso que o próprio Cristo era feliz, porque desde sua infância ele soube encontrar a felicidade no pouco, no sorriso sincero e no abraço de verdadeiros amigos, até mesmo o abraço daqueles que o negaria e o trairia.
            Jesus não fez da sua pobreza uma cruz, mas fez dela o motivo para ser feliz. No seu jeito simples e humilde de ser ele conseguia tocar no coração das pessoas de um modo muito especial. Na sua simplicidade pode se testemunhar que o reino de Deus não é construído somente de grandiosas obras, mas também de pequenos e valiosos atos por nós feitos, pois assim como uma casa é construída de tijolinho em tijolinho, o reino de Deus também pode ser construído aos poucos. Cristo não era coroado com as coroas de ouro que o mundo oferece, mas no seu jeito de ser e agir ele poderia alcançar os mais elevados níveis da nobreza, da grandeza e da honra, mesmo sem deixar de ser quem verdadeiramente era.

“O auge da inteligência é alcançar a humildade. O auge da humildade é pisar com os pés descalços sobre a grama e sentir sobre seus pés a criação de um Deus maravilhoso, que não deixou tudo isto somente para você, mas para todos nós.”

Reconhecer a nossa pobreza é enxergar em Cristo
algo maior que nós, mas que por amor também quis
se comparar a nós, pois veio a este mundo como
homem! 
            Cristo foi humilde ao extremo e ao mesmo tempo foi um grande líder. Apesar da sua liderança ele levava em si o pensamento que o grande líder é aquele que reconhece sua pequenez, aquele que tira forças da sua humildade e que extrai da sua experiência a fragilidade de ser forte o bastante para dizer: Mesmo sabendo quem eu sou eu quero e posso ser um de vocês! Vendo e contemplando a vivencia deste intelectual de Nazaré, nós podemos chegar a conclusão de que quanto maiores em humildade formos, mais próximos da nobreza chegaremos!

“O verdadeiro rei não é aquele que vive trancado em seu castelo, mas é aquele que vive no meio do seu povo!”

            Quando aquele simples e grande homem entendeu a sua verdadeira missão nesta Terra, ele se preocupou ao extremo com a dor do outro, pois tinha mascado em sua vida o que aquele povo sentia, afinal, ele fazia parte daquela gente, pois nasceu e cresceu no meio deles. Jesus aprendeu a ser humilde ao ponto que ele se preocupava com o próximo enquanto ninguém se preocupava com ele. E esse foi o momento mais doloroso de sua vida. Foi aquele dia em que tinha seu coração repleto de amor, enquanto aqueles na qual estavam sendo salvos pelo seu sangue, zombavam, cuspiam e espancavam Jesus. Enquanto o coração de Cristo estava repleto de amor, o coração daqueles homens estavam consumidos pelo ódio.
             Quando estava agonizando na cruz Jesus não perdeu a sua majestade e cordialidade para com aqueles que amava. Com o rosto deformado pelos dolorosos açoites, olhou para aqueles que o maltrataram e disse:

“Pai, perdoa-os, pois eles não sabem o que fazem!”
Lucas 23, 34

             Mesmo sofrendo dores horríveis, agonizantes e extremamente dolorosas, Jesus olhou com carinho para os homens e os perdoou por terem feito aquilo com ele. Jesus, mesmo sofrendo não esqueceu de suas origens. La na cruz o seu sangue escorria pelo seu corpo, a dor consumia seu físico e a sua alma, mas seu coração estava mergulhado em um poço de amor.
             De fato o filho de Deus veio a nós como pobre e também se sacrificou como pobre, pois morreu condenado de uma forma desumana, dolorosa e agonizante. Morreu preso aos punhos em pedaços de madeira. Madeira esta que brincava quando era criança, e agora fazia delas seu trono para realizar o sacrifício que nos salvaria.
             Meus amigos, hoje Jesus bate na sua porta e te convida para dar uma volta. Neste passeio especial ele te convida a tirar as suas sandálias, sentir em seus pés a criação de Deus, a grama, a terra e as pequenas flores. Jesus te convida a parar um pouco e sentir a brisa suave a bater em seu corpo, como se você fosse uma pipa, pronta para erguer seu voo e descobrir o que a além das montanhas. Nesse passeio Jesus te chama para sentir o perfume das delicadas rosas e margaridas, flores que esbanjam perfume suave como se fosse um agrado que a natureza nos oferece. Depois de tudo isso você se depara. Percebe que Deus é o senhor de uma sabedoria tão especial que ele consegue fazer de coisas tão simples coisas imensuráveis. Ele pode fazer da pobreza uma riqueza. Deus consegue fazer de delicadas flores lindos bosques e jardins. Tem a capacidade de conseguir fazer de pedrinha por pedrinha grandiosas e majestosas montanhas.  É esse Jesus que veio pobre e nos deixou a riqueza que foi o resultado de seu sacrifício: A salvação! Simplesmente é este homem que sorriu quando viu seus amigos sorrindo. É este o filho de Deus que do verbo se fez carne e abitou entre nós e foi como nós, homens e mulheres que vivem do pouco, e do pouco fazem sua grande motivação para serem felizes e estarem prontificados na eterna busca da felicidade, pois se não somos felizes não reconhecemos verdadeiramente quem é Jesus Cristo.

“Jesus era tão bom, humilde e sábio que ele não queria ser adorado, muito menos ser um pop estar, ele queria apenas fazer com que os homens percebessem que existia um caminho para o bem, e este caminho simplesmente era ele mesmo!”
Raul Seixas
Ser humilde é contemplar a natureza e saber que aquilo foi feito para você! 
“Jesus foi tão pobre que na sua pobreza encontrou a riqueza de viver, e vivia tão bem que disse: Ame seus inimigos, faça o bem para aqueles que te odeiam, abençoe aqueles que te amaldiçoam e  ore por aqueles que te maltratam.”

Lucas de Almeida Moraes 

sábado, 10 de março de 2012

Vai valer a pena!

           Amigos, um lindo dia, a quase dois mil anos atrás, um Pai mandou a esta Terra um filho, alguém muito amado e especial. Este filho era bom. Sabia partilhar o pouco que tinha com quem não pertencia nada. Amou quem não era amado, distribuiu motivação, consolava os aflitos e escutava os problemas do próximo sempre com a intenção de ajudar com um gesto e uma palavra.
            Um belo dia este Pai, que era um homem muito importante, viu que os homens estavam cheios e repletos de pecado. Percebeu que as faltas e transgressões da humanidade deveriam ser aniquiladas o mais rápido possível. Aquele Pai aflito e preocupado pensou e pensou. Com muita tristeza se deparou com uma só alternativa: Dar a vida do seu filho mais amado e querido no lugar de muitas. Para a dor do Pai assim se fez.
            Queridos, Deus nos ofereceu o seu filho como sacrifício que nos traria a vida, que nos traria a libertação de nossos pecados. Pecados estes que eram tantos que foi preciso que o filho de Deus, Jesus Cristo, morresse no lugar da humanidade. Entregar todo seu sangue para aqueles que se afogaram nos seus erros e encontraram neles falsas alegrias. Parece injusto, mas o amor é capaz de mover mais do que montanhas. O amor é capaz de fazer um Deus, se tornar homem e morrer por amor a toda humanidade.

               
           "Foi preciso que o filho mais amado fosse sacrificado para que tivéssemos vida, e vida eterna!" 

           O maior presente que você pode dar a esse Deus que te salvou das mãos do inimigo, é um sorriso e a eterna gratidão por este grandioso amor que de fato foi provado na cruz no momento em que Jesus disse sim as vidas, e por isso morreu por elas. Vale a pena acreditar, vale a pena crer, vale a pena agradecer, vale a pena viver a vida em Deus, por Deus e para Deus!

Lucas de Almeida Moraes 

“Porque Deus amou o mundo de tal maneira , que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crer não pereça, mas tenha vida eterna.”
João 3, 16 

Não existe amor maior do que doar a vida pelos outros! 

quinta-feira, 8 de março de 2012

Ser Mulher!

A mulher que ora consegue edificar
a sua casa! 

              Amigos, hoje é o dia em que olhamos para nossas queridas e frágeis mulheres, e com amor fraterno, agradecemos a sua companhia, amor e paciência para conosco. Reconhecemos que se não fosse por elas não existiríamos, e pelo seu sim a vida, hoje, nós podemos dirigir nossa humilde atenção especialmente a elas e agradece-las pelos inúmeros benefícios que trouxeram a nós.
              Hoje lembramos com carinho aquelas que já foram crianças, meninas sonhadoras, adolescentes rebeldes, jovens persistentes, moças lutadoras, e por fim, mulheres batalhadoras, aquelas que onde derrubam suas lagrimas plantam flores, onde distribuiu o seu andar deixa pedaços de céu, e quando a brisa lambe os seus cabelos é como os lírios que são soprados nos campos e bosques que enfeitam a nossa vida.

“O mundo te chamara abençoada, pois em ti é gerada a vida!”

             A figura feminina é frígio e singela, mas nos deparamos com a força de mulheres verdadeiramente guerreiras, que lutaram e lutam pelos seus direitos de participação igualitária, em um mundo onde elas cada vez mais se destacam por sua garra e persistência. Elas são lideres, chefes, patroas, domesticas, empresarias, diretoras, garis, escritoras, donas de casa, pastoras, corretoras, frentistas, policiais, médicas e enfermeiras. Mas ao mesmo tempo em que são tão diferentes elas tem uma coisa muito em comum, algo que as torna únicas. Elas são grandiosamente e simplesmente: Mulheres!
              São estas doces criaturas que são calmas e singelas como as borboletas, que pousam suavemente sobre as belas rosas dos pomares, mas quando é necessário de borboletas elas se tornam verdadeiras leoas, pois estão sempre prontas para garantir a segurança do que é delas por direito. Neste dia internacional das mulheres é uma data contra o preconceito com essas pessoas. É o dia de estas grandes moças mostrarem ao mundo que elas merecem respeito, e estão aqui, prontas, para encarar os obstáculos que se erguem todos os dias diante dessas vidas.   

“Cem homens podem formar um acampamento, mas é preciso uma mulher para se fazer um lar.”
Proverbio japonês

            Mulheres, Deus fez vocês como seres muito especiais! Com sabedoria ele fez vocês como o trono da sacralidade da vida. Colocou em sua existencia o sacramento de trazer a nós a unidade de nossa raça. Em vocês, sabias mulheres, o projeto de Deus é realizado, pois o desejo se torna carne, e abita entre nós!
             Todos os dias é dia da mulher, pois todos os dias é dia de celebrar e festejar a vida! Deus fez vocês de maneira tão perfeita que por vontade dele, ele se fez homem, teve um rosto, e abitou no ventre daquela que profetizou que todas as gerações te chamariam de bem aventurada.
            Maria, a mãe de Jesus, carregava uma imensa responsabilidade. Ao dar a luz ao Cristo ela iria receber a importantíssima responsabilidade de educar nada mais e nada menos do que o filho de Deus. Você mulher, talvez esteja carregando em seu ventre um ser, alguém que necessite de seu cuidado e zelo quando vier a este mundo confuso, conturbado e que nos cobra uma atenção árdua para com nossos filhos.
            Eu te faço um pedido mulheres: Mostre para seus filhos e os ensine quem é Deus! Tenham coragem de mostrar a eles que existe algo além de você mesma. Mostre a eles que existem olhos capazes de penetrar paredes, de penetrar a alma e é capaz de ver o que esta em nossos corações.  

“Boas mulheres são aquelas que cuidam, mulheres fascinantes são aquelas que educam”!

Se os obstáculos estiverem a sua frente, não
desista, pois tu tens um Deus ao seu
lado! 
            Vocês que são repletas de ternura e do próprio espirito santo, são convidadas a testemunhar o amor que fazem de vocês servas de um Deus inabalável e que as ama sem igual. As palavras que saem de suas bocas é canção que ecoa ultrapassando as montanhas que são nossos problemas, chegando até nosso coração e finalmente se instalando em nossa alma. Onde ha fé, há amor. Onde há amor, há paz, onde há uma mulher há uma vida em oração!
          Se neste momento a dificuldade bate em sua porta, não temas mulher, pois o fácil logo se faz, o difícil é complicado e demora um pouco, mas o impossível você pode entregar nas mãos de Deus, porque nele as suas dificuldades se tornaram grãos de areia! Vocês podem driblar e enfrentar os seus problemas, vocês não nasceram para serem eternas fracassadas, mas vieram ao mundo para serem mulheres vitoriosas!

“Quando Deus percebeu que o homem estava sozinho, ele criou a mulher. Deus colocou nela a paciência e o dom de amar mesmo quando não é amada! “

           Neste dia, todos os homens, os reis, presidentes, empresários reverenciam em direção a vocês, pois reconhecem que são frutos do teu ventre e do teu imenso amor. Ser mulher é um dom! Vocês tem a capacidade de transformar seus lares em templos da divina missão de amar. Vocês conseguem encontrar sorrisos nos rostos mais sofridos, nas vidas mais castigadas e nas pessoas mais maltratadas. São vocês, bravas e sabias guerreiras, que tem braços usados por Deus, para que aqueles que estejam perdidos nas vielas da vida possam encontrar o apoio para prosseguir na difícil caminhada de viver.
            Bela moça, não te deixe corromper pela futilidade e mediocridade do mundo. Vocês estão armadas com as armaduras  de Deus, e quem tem Deus jamais perdera. Se você cair não se desespere, pois se tu confiar no Deus que eu também confio eu sei que ele fira e escutara seu clamor. Ele te estendera a mão, te levantara e enxugara suas lagrimas.
             Sei que vocês são repletas de vigor, e sei que o coração de uma mulher pode amar até quem não é seu filho. A vida toda vocês lançaram seus olhares meigos e carentes para nós e disseram: Eu te amo! Hoje, repletos do desejo mais pulo de ama-las cada dia mais e cheios de gratidão, olhamos para vocês e dissemos: Nós te amamos!
            Obrigado por tudo o que nos concede, mesmo nos momentos em que decepcionamos vocês. Hoje é teu dia mulher, e por isso agradecemos vocês por nos manter firmes nos momentos difíceis e nos acolher em seus abraços calorosos e amigos!

8 de março de 2012, dia internacional da mulher.

Lucas de Almeida Moraes

Feliz dia da mulher! 



Avia uma mulher, tão desesperada, pois seus recursos se foram, não avia nada a fazer. 

domingo, 4 de março de 2012

Nós podemos mudar o mundo!

      Amigos, talvez a barreira do impossível possa estar diante de você neste exato momento, te impedindo de enxergar a sua grande e importante participação neste mundo, pois Deus não te colocou nesta imensidão para ser apenas mais um no meio de inúmeros, mas ele te colocou no meio de vários para que você seja luz, para que você seja como a ponte que tem como o objetivo o céu.
     Se houver batalhas te impedindo de lutar por um mundo melhor não se esqueça que você tem um Deus ao seu lado, aquele que te ajuda a atravessar os abismos profundos e as ciladas do inimigo. Talvez se você não puder mudar o mundo tente mudar o seu mundo, pois assim as pessoas verão em você algo novo, interessante e benéfico, assim você estará contribuindo com um mundo melhor. Vale a pena tentar, e se tropeçar, levante e tente outra vez!

Lucas de Almeida Moraes



Vale a pena transformar e se sentir protagonista nesta grande construção de um mundo melhor! Você pode, eu posso e juntos nós podemos!

Você não esta sozinho nesta! Lute, persista, pratique a sua fé, pois por acreditar em Cristo devemos fazer o que ele fez,
e ele amou o mundo de certo ponto que contribuiu para fazer desta terra um lugar melhor!