Pages

quinta-feira, 15 de março de 2012

Um Deus que escolhe os fracos


                Queridos amigos, agradeço a Deus pela vida de cada um de vocês e pela oportunidade de estarmos nos reunindo novamente para aprender mais sobre este Deus que para nós é muito mais do que uma hipótese, mas sim uma certeza concreta sobre os alicerces de nossa fé. Hoje queremos refletir sobre um Deus que não escolhe os fortes, mas sim os fracos. É este Deus que por amor aos fracos e fracassados escolheu vir ao mundo por Jesus Cristo e abitou no meio deles. Aqueles homens iletrados, sem cultura e nenhuma condução a conhecimentos superiores, até mesmo chegavam a ser arrogantes e ignorantes, estavam abandonados em um certo local pacato e isolado, vivendo suas vidinhas miseráveis e acomodados com suas realidades escondidos sobre as cortinas do anonimato. Depois que conheceram a Cristo e tiveram uma experiência nova, reconheceram que em Jesus poderiam ser grandes, e na humildade e na coragem de pragar o amor de Deus se tornaram o que são, grandes homens e mulheres que abitam na gloria de Deus. De fato, Deus escolheu os fracos para confundir os fortes, e mostrar a eles que quando estamos ao lado de Deus somos todos fracos e pequeninos, partilhando a igualdade de sermos filhos e filhas, criaturas de um mesmo criador cuja nele podemos ser grandes no momento em que reconhecermos que somos pequenos.  

“Portanto, eu me gloriarei ainda mais alegremente em minhas fraquezas, para que o poder de Cristo repouse em mim. Por isso, por amor de Cristo regozijo-me nas fraquezas, nos insultos, nas necessidades, nas perseguições, nas angustias. Pois, quando sou fraco é que sou forte.”
2 Coríntios 12, 9-10

              Amigos, ao longo das incontáveis paginas das sagradas escrituras podemos testemunhas inúmeras pessoas que eram verdadeiramente e tristemente fracassadas, dominadas radicalmente pelo pecado e eram instrumentos da discórdia, do ódio e da matança. Essas pessoas aparentemente as nossas vistas já não tinham condições de serem instrumentos do plano de salvação. Apesar de nossos olhos serem testemunhas da rebeldia daquelas pessoas, Deus conhecia o coração de cada uma delas. Para a nossa surpresa Deus visitou o cerne desses homens e mulheres, e os tornaram verdadeiros exemplos, onde Deus falava pela boca daqueles que um dia o difamaram e agora o glorifica. De fato e sem duvida alguma, Deus entrou no mais profundo intimo dessas pessoas e foi como um gari, aquele que recolhe todo lixo e deixa somente aquilo que presta.
               Quando o Messias veio ao mundo ele não ocupou os palcos dos pop stars e nem era famoso por ser quem era, mas veio naquela região inóspita, ocupada pela pobreza e pela miséria. Jesus veio no anonimato para trabalhar e mudar a vida dos anônimos. Naquele lugar onde ele estava era repleto destes anônimos que só aguardavam e precisavam serem tocados de maneira espacial para reconhecer em Cristo, aquele homem que partilhava de suas realidades sociais o caminho, a verdade e a vida.

“Ser forte no reino de Deus é ter a coragem de reconhecer que somos fracos.”

                Quando Jesus começou a sua obra de evangelização e de anunciar a boa nova, ele não foi a procura dos doutores da lei intelectuais, nem dos governadores poderosos e muito menos dos imperadores, que naquele tempo se portavam e eram reconhecidos como verdadeiras divindades. O mestre de Nazaré não procurava aqueles que eram reconhecidos pelo que tinham, mas sim pelo que eram. Ele encontrou na simplicidade de humildes homens um solo fértil onde a sua semente de esperança poderia ser plantada e pudesse vir a germinar. Cristo não foi buscar os fortes, mas reconheceu nos fracos a grandeza de ser pequeno. Ele com seu olhar perceptivo e atencioso compreendeu que o reino no qual estava disposto a construir não se faria da noite para o dia e muito menos de uma hora para outra, mas escolheu realizar o que estava prontificado a fazer passo a passo, tijolo por tijolo, vida por vida e fracos para se tornarem grandes.  
                 Como já disse, a bíblia nos apresenta um alto numero de pessoas fracas e dominadas pelo fracasso. Uma dessas pessoas era Paulo, que antes de dedicar completamente a sua vida a propagação do evangelho era um caçador daqueles que mais tarde fazia parte. Paulo caçava cristãos, todos aqueles que seguiam a fé do ressuscitado. Sem duvida alguma, Paulo foi um dos resgatados da fraqueza e da perdição para ser grande, para ser boca de Cristo em um mundo cada vez mais difícil e complicado de se viver. Para o mundo Paulo fez a escolha errada, pois a maior alegria daquele homem que antes se chamava Saulo, era ter uma medalha em seu peito presenteada pelo imperador por ter matado dezenas de cristãos. Agora, convertido, ele não encontrava mais a felicidade nas meras e passageiras medalhas, mas sim na coroa da salvação que foi posta sobre sua cabeça. Seu passado foi apagado com o sangue de Cristo, e agora ele encontrava a alegria em glorificar a Deus, de percorrer um caminho difícil e árduo, mas que de fato vale a pena prosseguir.
Deus escolhe os fracos para
que os grandes encontrem a sua
pequenez! 

“Considere que os nossos sofrimentos atuais não podem ser comparados com a gloria que em nós será revelada.”
Romanos 8, 18

           No momento em que Cristo avistou aqueles simples pescadores, humildes e iletrados, viu neles diamantes que somente precisavam serem lapidados, conchas que guardavam em seu interior a mais bela perola prestes a ser descoberta e admirada por muitos. Jesus mostrou a eles que a vida esta além da comprida linha do horizonte que separa o mar do céu, e que essas vidas precisavam ter o conhecimento de um Deus que não era um carrasco, mas um amigo, aquele que por amar tanto a humanidade quer todas as pessoas junto a ele.
           A mais bela iniciativa de Jesus foi no momento em que ele se prontificou a ensinar a aqueles homens a não lançar mais suas redes ao mar para apanhar peixes, mas para lançar suas redes rumo aos homens, para que sejam retirados do fundo do mar do fracasso, da angustia, do ódio e do sofrimento, para que fossem elevados a superfície e serem solenes passageiros do barco que somente tem um objetivo: o céu! Este barco passara por tempestades, tormentas e muitas barreiras, muitos vão preferir voltar para o fundo do mar e viver o que viviam, mas quem ser forte continuara firme até o objetivo que não será o final, mas sim o começo!   
           Todos estes homens que eram dominados pela fraqueza e desprezados pelo mundo encontraram em Deus a sua fortaleza e resistência. Não tiveram medo de assumir as suas novas identidades. Eles se tornaram corajosos e cheios do Espirito Santo, continuaram valentes até a morte, até o momento em que as lanças e as espadas daqueles que perseguiam o nome de Cristo tiraram suas vidas, mas não foram capazes de aniquilar o que ele nos passaram, pois mataram os seus corpos, mas não suas palavras! O sangue deles foram como sementes que daria novos frutos para a continuação da meta. Graças a estes homens nós temos o conhecimento de um Deus de amor e que por este amor a humanidade se fez homem, abitou no meio de seu povo e partilhou de nossa realidade.

“Nós, que somos fortes, devemos suportar as fraquezas dos fracos, e não agradar a nós mesmos. Cada um de nós deve agradar ao seu próximo para o bem dele, a fim de edifica-lo.”
Romanos 15, 1-2

“Sob a direção de um forte general, não haverá jamais soldados fracos.”
Sócrates

           De fato, Jesus Cristo tirou e tira os fracos do anonimato do cosmo e os coloca nos pedestais da existência para que se sintam participantes árduos no belo trabalho de evangelização! Sob a direção de um Deus forte e misericordioso, não haverá jamais filhos e filhas perdidos na escuridão, mas andaram na luz e não terão medo de busca-la ardentemente como os beija-flores procuram o mais puro néctar da mais bela flor que espera ansiosa ser beijada.
            Amigos, se a fraqueza mora em seu ser te convido a levantar-se e entrar em ação, pois Deus é o senhor dos fracos, e de sua fraqueza ele quer te fortalecer. Mas contudo temos que entender que Deus abre as portas e nos da a oportunidade, já o resto é conosco! O Pai da oportunidades ao seu filho, contudo basta que o filho diga sim e lute pelo seu objetivo. Se o teu objetivo é alcançar a Deus nunca pare de lutar, pois garanto que aparecera vários obstáculos, mas também garanto que no final você vera o tanto que valeu a pena.   
             Se você é fraco na fé você é convidado a buscar mais este Deus. Não tenha medo, não tenha preguiça e tenha força de vontade para conhecer o criador que ama até os que o despreza. Busque a Deus, pois é mais do que uma oportunidade de conhecimento, é uma oportunidade de salvação!

“O forte não é aquele que vira as costas para o s fracassados e vive sua vidinha. Na verdade os fortes são aqueles que estendem as mãos para os fracos e os convida a partilhar de sua realidade.”

“Deus escolhe os fracos porque quer mostrar aos que pensam que são fortes que a força não esta no poder, mas sim na humildade. Jesus escolheu vir ao mundo fraco, anônimo e sobre o auge do desconhecido, mas mesmo assim mostrou a nós que o dinheiro e os bens materiais podem comprar favores, mas o amor e a compaixão podem conquistar corações!”

Lucas de Almeida Moraes

                                                                       Olha pra mim!

Nenhum comentário:

Postar um comentário